Clipping

'Bloomberg': Demanda crescente por diesel sustenta mercado de petróleo

Matéria publicada nesta quinta-feira (28) pela Bloomberg aponta que o crescimento vertiginoso da atividade industrial no mundo, o combustível — conhecido no setor como diesel com teor ultra baixo de enxofre (ULSD, na sigla em inglês) — está tendo uma demanda forte, acelerando o crescimento do consumo total de petróleo em 2017 bem acima da média de 10 anos.

De acordo com a reportagem da Bloomberg quando a demanda aumentou mais rápido do que o esperado, o fornecimento de diesel teve problemas, provocando um rápido aperto. 

"Primeiro na Europa: a refinaria Pernis, de propriedade da Royal Dutch Shell e considerada uma das máquinas de diesel da região, sofreu um incêndio em julho e ficou fechada por várias semanas. E depois nos EUA, onde no fim de agosto o furacão Harvey desativou temporariamente uma dezena de refinarias, interrompendo o abastecimento interno e a exportação para mercados distantes", afirma Bloomberg.

“Atualmente, o mercado de petróleo é movido por quatro letras: é ULSD e não Opep”, disse Olivier Jakob, diretor administrativo da consultoria Petromatrix.

O noticiário observa que a combinação entre uma demanda forte e fechamentos temporários de refinarias reduziu os estoques globais de diesel durante o verão do Hemisfério Norte.

Bloomberg afirma que consequentemente o preço de referência do diesel europeu ultrapassou US$ 550 por tonelada pela primeira vez desde julho de 2015, frente a US$ 409,50 há apenas três meses. Além disso, o mercado do diesel entrou com força em uma condição chamada “backwardation” — onde os contratos com entrega nos meses seguintes são mais caros do que os de datas mais longas — em um sinal de aperto do mercado.


Fonte: Bloomberg - retirado do site Jornal do Brasil