Clipping

Petróleo atinge mínima de 18 anos e puxa queda do açúcar

Postado em 19 de Março de 2020

O açúcar bruto, negociado em Nova York na ICE, registrou mais um dia de desvalorização nessa quarta-feira (18), seguindo os mercados acionários e queda do preço internacional do petróleo, que atingiu a mínima de 18 anos. O lote do açúcar demerara para maio/20 foi comercializado em 10.67 centavos de dólar por libra-peso, queda de 22 pontos. Os contratos para julho/20 recuaram 23 pontos e foram firmados em 10.63 centavos de dólar por libra-peso. Os demais vencimentos recuaram entre 19 e 24 pontos.

De acordo com a Reuters, "os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE bateram mínimas de um ano e meio nesta quarta-feira, com o segundo vencimento recuando para o mais baixo nível desde dezembro de 2007".

Em Londres o cenário também foi de queda. O lote para maio, negociado na ICE Europe, fechou em US$ 335,80 a tonelada, queda de 2,70 dólares. Os contratos para agosto/20 foram comercializados em US$ 327,70 a tonelada, recuo de 2,40 dólares. Os demais lotes desvalorizaram entre 1,50 e 3,40 dólares.

Mercado doméstico

Nessa quarta-feira, em São Paulo, a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou em R$ 76,60, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP. Houve desvalorização de 1,16% quando comparado ao valor da véspera.

Etanol

Pelos índices da Esalq/BM&FBovespa, Posto Paulínia, o etanol hidratado registrou ontem (18) mais uma queda e foi negociado em R$ 1.707,50 o metro cúbico, baixa de 5,11% no comparativo com a véspera. O indicador não registrava este valor desde julho de 2019.


Fonte: Agência UDOP de Notícias