Clipping

15º INSECTSHOW reúne mais de 600 profissionais para um profundo debate sobre o manejo das pragas da cana

Postado em 19 de Julho de 2019

Pesquisas revelam que os prejuízos anuais com o complexo de pragas na cultura podem chegar a R$ 10,86 bilhões 

Com a frase “Você atendeu ao chamado” e ao som da música tema de “Ghostbusters, os caça-fantasma”, o Grupo IDEA deu início ao maior seminário sobre o controle de pragas da cana-de-açúcar do mundo. Realizado no Centro de Eventos do Ribeirão Shopping, em Ribeirão Preto/SP, o 15º Insectshow reuniu mais de 600 participantes, entre produtores de cana, profissionais de usinas, pesquisadores, consultores e executivos de empresas ligadas ao segmento, em dois dias de muito conteúdo especializado sobre o manejo desses “adversários da produtividade agrícola”.

Os nematoides, a cigarrinha-das-raízes, o Sphenophorus levis e a broca-da-cana foram os grandes destaques da programação deste ano. Encontradas em praticamente todos as regiões produtoras de cana-de-açúcar do Brasil, essas quatro pragas são responsáveis por dizimar produtividades por onde passam e reduzir a longevidade das lavouras.

No entanto, o complexo de pragas que infesta os canaviais brasileiros é muito mais abrangente. Nos últimos anos, o setor sucroenergético nacional tem registrado aumento no número infestações de pragas outrora consideradas de baixa importância, como a broca-peluda, a broca-gigante e o pão-de-galinha. Por conta disso, o Grupo IDEA reservou parte do evento deste ano para debater as causas e consequências destes novos surtos.

O presidente do Grupo IDEA, Dib Nunes Jr., ressalta a importância do evento na atual conjuntura do setor canavieiro. “No total, foram mais de 15 horas de muito conteúdo. Período em que foram debatidas inovadoras técnicas para o monitoramento e controle dessas pragas, que podem causar grandes prejuízos para usinas e produtores que não adotarem as melhores formas de manejo.” Segundo ele, caso não controlados, esses “invasores” podem causar um prejuízo anual ao setor de R$ 10,86 bilhões. 

O 15º Insectshow foi palco para o lançamento de novas soluções para o controle das pragas da cana. Muito mais do que recomendar apenas um inseticida, as empresas apostam atualmente em programas de manejo integrado, que aliam, de forma extremamente sinérgica, várias ferramentas para que o controle alcance o máximo de eficiência com sustentabilidade.

Moléculas inovadoras, união entre produtos químicos e biológicos, defensivos que controlam mais de um tipo de praga, implemento que aplica inseticida na soqueira, variedades de cana geneticamente modificadas, novas metodologias de amostragem, softwares que identificam infestações de pragas no canavial, essas e outras importantes ferramentas foram destaque no seminário.

O evento deste ano contou, ainda, com a participação de dois convidados especiais. O primeiro deles foi Nicholas Vital, jornalista e autor do livro "Agradeça aos agrotóxicos por estar vivo". Na ocasião, ele desmistificou inverdades sobre o tema, como a de que o brasileiro consome cerca de 5,2 litros de agrotóxicos por ano juntamente com os alimentos.

O segundo convidado especial foi o professor da ESALQ/USP, Paulo César Sentelhas. Uma das maiores autoridades brasileiras em agrometeorologia, o pesquisador ministrou a última palestra do Insectshow 2019, em que abordou a variabilidade climática e seus impactos na produtividade da cana-de-açúcar na região Centro-Sul do Brasil.

Foi um evento com um conteúdo muito extenso e de muita qualidade. Tanto que, durante a realização, Dib aconselhava os presentes a estudarem em casa o material das palestras apresentadas, que estão disponíveis aos participantes no site http://eventos.ideaonline.com.br. Afinal, mais importante que o acesso a informação de qualidade é saber como usá-la para se obter mais efetividade no controle de pragas.

 


Fonte: Assessoria de Imprensa