Clipping

2021 mal começou e o açúcar já se aproxima da máxima de 4 anos

Postado em 6 de Janeiro de 2021

O ano da pandemia foi horrível para muitos mercados. Mas foi doce para as ações e um seleto grupo de matérias-primas, principalmente o açúcar, que teve seu melhor ano nos últimos cinco.

E 2021 mal começou e a commodity já está recompensando seus investidores, ao se aproximar da máxima de quatro anos em seu primeiro pregão de ano-novo.

Os preços do açúcar em bruto atingiram o pico mais alto desde maio de 2017 diante de sinais persistentes de clima desfavorável em seus maiores países produtores, Brasil e Tailândia, além da queda das remessas da Índia ao exterior, terceiro maior exportador do produto.

O contrato futuro mais negociado do açúcar em bruto na InterContinental Exchange (ICE) dos EUA fechou a 15,75 centavos de dólar por lb no pregão de segunda, uma alta de quase 1,7%. O pico da sessão foi a 16,12 centavos de dólar, máxima vista pela última vez em 23 de maio de 2017.

O açúcar superou as expectativas da maioria dos analistas no ano passado, ao fechar o ano cotado a 15,28 centavos.

Para 2021, a agência de classificação Fitch acredita que a média de preços será de 13,50 centavos de dólar.

Clima seco no Brasil impulsiona rali no açúcar

Jack Scoville, analista do açúcar na corretora Price Futures Group, em Chicago, afirmou que as compras especulativas relacionadas às previsões de clima seco no Brasil alimentavam a alta, já que o país produz quase 18% do açúcar disponível no mundo.

Scoville disse ainda:

"Está chovendo no Centro-Sul do Brasil, mas a temporada de produção de cana já está chegando ao fim. As precipitações chegaram tarde à região. A produção foi prejudicada pelo clima seco no início do ano."

A Tailândia, que responde por quase 9% da produção mundial de açúcar, também pode ter uma safra menor neste ano, devido à redução das áreas de cultivo e às precipitações erráticas durante a estação de monção.

No lado europeu, o clima e a pandemia também estão afetando o cultivo de beterraba em países do bloco, que coletivamente responde por cerca de 20% da produção mundial de açúcar.

O mais importante, segundo Scoville, foi a Índia que, apesar de ter registrado uma excelente safra em 2020, exportou menos do que o volume usual de 5 milhões de toneladas, no ano passado. A situação pode piorar neste ano, explicou:

"Como o governo indiano não anunciou subsídios para exportadores de açúcar, a expectativa é que não haja saída imediata de remessas do país para este ano. Os subsídios terão que ser significativos para impulsionar as vendas com exportação".

Se bem que a perspectiva para o açúcar em 2021 continue positiva, alguns pontos favoráveis podem ser prejudicados pelo ressurgimento do coronavírus na forma de uma nova cepa mais infecciosa no Reino Unido, afirmou Scoville.

Isso tem afetado uma parte da demanda mundial de açúcar proveniente de alimentos e etanol, biocombustível produzido a partir da matéria-prima.

Mas o que os gráficos do açúcar mostram para este ano?

Após quase atingir a máxima de quatro anos na segunda-feira, o açúcar tem potencial técnico para alcançar 18,50 centavos, seu nível mais alto desde o pico março de 2017 a 19,84, segundo Sunil Kumar Dixit, grafista da SK Dixit Charting em Kolkata, Índia.

Dixit disse ainda:

"Como o açúcar avançou sobre o nível 15,75, podemos dizer que temos um rompimento plurianual em andamento. Os preços estão acima da média móvel simples de 100 meses a 14,90 e da média móvel exponencial de 50 dias a 14,60."

"O índice de Força Relativa estocástico aponta para um possível movimento de alta. No curto prazo, é provável que o mercado atinja 15,98 e 16,60. No longo prazo, não se pode descartar uma corrida até 18,50. É importante nota que a área de 18,50 atuou como suporte horizontal e resistência em várias oportunidades".

A Perspectiva Técnica Diária do Investing.com indica "Forte Compra" no açúcar.

Como o mercado superou em muito as expectativas dos analistas, é possível que o açúcar recue até cerca de 15,70 centavos para recobrar força técnica e seguir subindo. Os três níveis de resistência estão a 15,62, 15,76 e 15,99 centavos.

Havendo continuidade da tendência de baixa, os próximos níveis de suporte estão a 14,88, 15,02 e 15,25.

De qualquer forma, o ponto de pivô entre os níveis de suporte e resistência está a 15,39.

Como em todas as projeções, interprete as visões apresentadas com base nos fundamentos e opere com moderação -- sempre que possível.

Aviso de isenção: Barani Krishnan utiliza diversas visões além da sua para oferecer aos leitores uma variedade de análises sobre os mercados. O analista não possui posições nos ativos e commodities sobre os quais escreve.


Fonte: Portal Investing - retirado do Portal Siamig