Clipping

A boiada passa pelo asfalto

Postado em 27 de Maio de 2020

Os jornais desta terça-feira (26) estamparam um informe publicitário de página inteira afirmando que “No meio ambiente, a burocracia também devasta”.

Apesar de a lista estar encabeçada por uma entidade agrícola, a manifestação pouco tem a ver com a agricultura. A lista saiu da construção civil.

Das 87 entidades (uma assinou duas vezes) que constam desse manifesto a favor do ministro do Meio Ambiente, apenas 30 se referem ao agronegócio. Destas, 13 são do setor de cana-de-açúcar.

As demais estão ligadas às áreas de comércio, da indústria, da construção e de administração imóveis urbanos.

A assinatura dessa lista causou intensas discussões dentro das diretorias de algumas associações do agronegócio. Em outras, mesmo após a aprovação pela participação, a assinatura foi retirada.

Das entidades do agronegócio participantes da lista, poucas são do IPA (Instituto Pensar Agro), um instituto que reúne 45 associações e discute políticas públicas para dar suporte técnico e legal para a Frente Parlamentar da Agropecuária.

Na lista desta terça-feira (26), poucas entidades são do setor de exportação. O assunto meio ambiente é muito sensível para o comércio exterior e tem colocado o país na mira de importadores.

A discussão sobre alguns assuntos de interesse nacional costuma passar pelo IPA. O instituto não assina nada, mas, muitas vezes, dá um posicionamento sobre determinados temas. Neste caso, o assunto não foi discutido por lá.

Um dos diretores de uma entidade que não assinou a lista diz que a função das associações é defender seus associados. Ela não deve entrar na defesa tanto de situação como de oposição.

Toda essa discussão ocorre devido ao vídeo da reunião de ministros de 22 de abril, quando o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, disse que, enquanto a imprensa só falava de Covid-19, era hora de ir passando a boiada e mudando o regramento e simplificando normas.

Após a divulgação do vídeo, Salles disse que se referia a diminuir as burocracias nos ministérios, o tema do informe publicitário desta terça-feira.

A nota dessas organizações traz o seguinte título: “No meio ambiente, a burocracia também devasta”. Após falarem em desenvolvimento sustentável e condenarem “os infratores”, aqueles que praticam concorrência desleal com as empresas “regulares e responsáveis”, os signatários vão ao ponto principal:

—  As ações do Ministério do Meio Meio Ambiente, na defesa da legislação e dos interesses ambientais com sensibilidade ao desenvolvimento do país de forma sustentável e legítima, contam com nosso total apoio.

São estas as instituições que assinaram o anúncio de página inteira (ao lado, uma reprodução bem menor) nos jornais.

  • Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)
  • Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC)
  • Confederação Nacional da Indústria (CNI)
  • Confederação Nacional de Serviços (CNS)
  • Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC)
  • Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC)
  • Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer)
  • Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) – João Carlos Basílio
  • Associação Brasileira de Reciclagem Animal (Abra)
  • Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc)
  • Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo)
  • Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas)
  • Associação Brasileira pela Conformidade e Eficiência de Instalação (Abrinstal)
  • Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (Acebra)
  • Associação Comercial de São Paulo (ACSP)
  • Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA)
  • Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF)
  • Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-Rio)
  • Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE)
  • Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil (Adit Brasil)
  • Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB)
  • Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro (AEERJ)
  • Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano (Aelo)
  • Associação dos Fornecedores de Cana do Extremo Sul da Bahia (AFCESBA)
  • Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP)
  • Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop)
  • Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar)
  • Associação Paranaense dos Empresários de Obras Públicas (Apeop-PR)
  • Associação dos Produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso (Aprofir)
  • Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil)
  • Associação dos Fornecedores de Cana de Araraquara
  • Associação do Sudoeste Paulista de Irrigantes e Plantio na Palha (Aspipp)
  • Associação dos Fornecedores de Cana de Alagoas (Asplan)
  • Associação dos Fornecedores de Cana do Rio Grande do Norte (Asplana-RN)
  • Associação dos Fornecedores de Cana de Sergipe (Asplana-SE)
  • Associação Rural do Vale do Rio Pardo (Assovale)
  • Associação Brasileira de Construtores (Asbraco-DF)
  • Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações de Classe de Infraestrutura (Brasinfra)
  • Associação dos Fornecedores de Cana de Araraquara (Canasol)
  • Cooperativa dos Produtores de Cana (Coaf – PE)
  • Conselho Brasileiro do Feijão e Pulses (CBDFP)
  • Federação de Serviços do Estado de São Paulo
  • Federação Nacional dos Pequenos Construtores (Fenapc)
  • Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana)
  • Federação Internacional Imobiliária (Fiabci-Brasil)
  • Instituto Brasileiro De Feijão e Pulses e Colheitas Especiais (Ibrafe)
  • Instituto de Engenharia (IE)
  • Organização de Associações de Produtores de Cana do Brasil  (Orplana)
  • Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP)
  • Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado da Paraíba (Secovi-PB)
  • Sindicato da Indústria do Açúcar do Estado do Paraná (Siapar)
  • Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool do Estado do Paraná (Sialpar)
  • Sindicato de Indústria de Produção de Biodiesel do Estado do Paraná (Sibiopar)
  • Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco)
  • Sindicato Rural De Sorriso – Mato Grosso
  • Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (Sinduscon-AL)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil de Blumenau (Sinduscon-Blumenau)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil de Caxias do Sul (Sinduscon-Caxias do Sul)
  • Sindicato das Indústrias da Construção Civil da Costa Esmeralda (Sinduscon-Costa Esmeralda)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Goiás (Sinduscon-GO)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Sinduscon-Itajaí)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil de Joinville (Sinduscon-Joinville)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil de João Pessoa (Sinduscon-João Pessoa)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Centro Oeste de Minas (Sinduscon-MG)
  • Sindicato Intermunicipal da Indústria da Construção do Estado de Mato Grosso do Sul (Sinduscon-MS)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Mato Grosso (Sinduscon-MT)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Pará (Sinduscon-PA)
  • Sindicato da Indústria da Construção e do Mobiliário do Estado da Paraíba (Sinduscon-PB)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon-PE)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Piauí (Sinduscon-PI)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon-PR)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil da Região Noroeste do Estado do Paraná (Sinduscon-PR Noroeste)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Norte do Paraná (Sinduscon-PR Norte)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Oeste do Paraná (Sinduscon-PR Oeste)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon-RJ)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio Grande do Norte (Sinduscon-RN)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil e de Artefatos de Cimento Armado do Vale do Itapocu (Sinduscon-Vale do Itapocu/SC)
  • Sindicato da Indústria da Construção Civil de Uberaba (Sinduscon Vale Uberara/MG)
  • Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de São Paulo (Sinicesp)
  • Sistema Cofeci e Creci Conselho Federal de Corretores de Imóveis
  • Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran)
  • Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema)
  • Sociedade Rural Brasileira (SRB)
  • Sociedade Rural do Paraná (SRP)
  • União da Indústria de Cana de Açúcar (Única)
  • União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida)

Confira a nota assinada por essas organizações:

“As entidades abaixo reafirmam seu compromisso com a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável, condenando os infratores que, além de causarem prejuízos ambientais e à imagem do país, praticam concorrência desleal às empresas regulares e responsáveis. Condenamos, também, a agenda burocrática que utiliza a bandeira ambiental como instrumento para o travamento ideológico e irrazoável de atividades econômicas cumpridoras das leis e essenciais ao desenvolvimento econômico do país. Tal agenda afasta investimento e subtrai empregos, gerando grande pobreza em vez de respeito ao meio ambiente. As ações do Ministério do Meio Meio Ambiente, na defesa da legislação e dos interesses ambientais com sensibilidade ao desenvolvimento do país de forma sustentável e legítima, contam com nosso total apoio”. (De Olho nos Ruralistas, 26/5/20)


Fonte: Folha de S. Paulo