Artigos

A negligência, a irresponsabilidade e a impunidade - Por Dib Nunes Junior

Estas três palavras definem as causas das terríveis e recentes tragédias de Brumadinho e do CT do Flamengo e de muitas outras desgraças que ocorrem no Brasil. Vidas inocentes foram ceifadas por conta do enorme descaso com o ser humano, próprio de um país que vem sendo governado por políticos desonestos, cuja principal finalidade é participar do toma lá dá cá que subverteu a ética e a lei há muito tempo. Repartem o poder entre partidos aliados para usufruir do dinheiro público como se fosse deles. Enquanto se locupletavam usando as mais variadas formas de desvios e falcatruas, “davam de ombros” para os grandes problemas brasileiros, abandonando à própria sorte a saúde, segurança, educação etc. Os sucessivos governos socialistas enganaram o povo mais humilde com míseras bolsas esmola para garantir seus currais de eleitorais, pois lhes convinha multiplicar o número de pobres e dependentes para se manterem no poder. Não investiram em nada de bom para o povo e deixaram tudo se deteriorar. Com isso se criou uma geração de desencantados, mal-educados e acostumados a receber tudo do governo.

O país não aguentou e a situação atingiu um verdadeiro caos em todas as áreas. O tráfico de drogas e as milícias cresceram absurdamente e a mentalidade da vagabundagem se expandiu principalmente entre os mais jovens, que sem oportunidades de trabalho, ficam à mercê de bandidos e traficantes. A mídia, os intelectuais, artistas e formadores de opinião tem especial papel nisso, pois também acharam suas formas de levar vantagem e venderam suas consciências. Junto ao governo os privilégios se multiplicaram e se formou no Brasil uma casta de funcionários públicos privilegiados, cujos salários, mordomias e aposentadorias quebrou o país.

Hoje em dia há uma enorme cultura da obtenção de vantagens, de empurrar os problemas com a barriga, do jeitinho brasileiro, de realizar obras superfaturadas, controlar estatais e dominar os três poderes na base da distribuição de propinas e favores, que torna quase impossível governar este país.

O antigo grupo dominante se esforçou em montar um projeto de poder para governar ad infinitum, porém tropeçaram nos seus próprios erros e graças a Deus que surgiu uma heroica ação de um pequeno grupo de juízes e promotores de Curitiba, que nos salvaram do comunismo e do sistema bolivariano que os partidos de esquerda quase implantaram aqui, um regime que destruiu e arrastou a Venezuela para a fome e a miséria. Tanto quanto realizar mudanças em leis e procedimentos, o novo governo tem que desaparelhar o Estado e principalmente, criar uma nova mentalidade na população tão mal informada e mal-acostumada. Ainda hoje vemos diariamente comentários pejorativos a política que o atual governo pretende implantar, feitos pela importantes órgãos de imprensa e pelos defensores dos grupos de minorias, os quais eram usados demagogicamente para sensibilizar a população e relacionar aos políticos de esquerda sentimentos nobres como a defesa do feminismo, o machismo, a discriminação racial, os sem-terra, sem teto, os ambientalistas mal-intencionados etc. dando a impressão que esses eram de fato os grandes problemas brasileiros. Uma enganação muito bem engendrada que ainda hoje arrebata milhares de fanáticos e representou na ultima eleição 42 milhões de votos. Não se deve virar as costas para essas causas, mas torna-las bandeiras, não dá, né? Queremos mais saúde, segurança, educação, infraestrutura, honestidade etc.

Quando vejo um juiz decano do STF como Celso de Mello levar três dias para dar um voto a favor da criminalização da homofobia, com uma pilha de mais de cinco mil processos atrás de si, quando vejo o presidente da Cia Vale do Rio Doce, com amplas orelhas de abano e sua enorme ‘cara de pau” vir a publico dizer que os desastres das barragens de Mariana e Brumadinho foram acidentes imprevisíveis e o representante do C.R.

Flamengo jurar que o caixote onde se amontoavam os sonhadores jovens era seguro e confortável, me lembro imediatamente que só o jogador Diego ganha 800 mil por mês para jogar uma bolinha pequena e desfrutar de mordomias extremas. Será que o Flamengo não poderia gastar um pouco mais e colocar estes jovens em acomodações decentes? Isso tudo me perturba e me revolta e ainda me deixa estupefato diante do que se transformou o povo brasileiro e dos políticos que usam demagogicamente as desigualdades para ficar no poder fazendo suas falcatruas, em vez de encarar honestamente os grandes problemas nacionais. Acontece que estas pessoas são negligentes e irresponsáveis e tem tanta certeza da impunidade, que nada as faz agir de maneira correta, como deveria realmente ser. Será que vai continuar assim? Até quando vamos ter que aguentar isso?

 

 

 

 


Fonte: Dib Nunes Jr.