Clipping

A robótica nas rédeas da agricultura de precisão

Nos últimos cinco anos, dos US$ 800 milhões levantados para investimento em startups agrícolas em todo o mundo, US$ 559,1 milhões, 70% do total, foram para empresas desenvolvedoras de inteligência artificial e robótica. Os dados são da consultoria americana CB Insights. Em julho, a consultoria relacionou as agtechs que mais estão chamando a atenção do mercado. Nessa área estão cinco categorias de empresas: desenvolvedoras de robôs agrícolas, de análise de saúde de cultivos e de solo, de monitoramento no campo, de análise preditiva e de análise de imagem de satélite. Confira quais são as startups e as potências que estão por trás desse alto investimento global em agricultura de precisão.

AGRICULTURA

Gestão high-tech

Dona de 19,7 mil hectares de soja e 14,5 mil bovinos de corte nos municípios de Paranatinga e Primavera do Leste (MT), a fazenda Agropecuária Chapada dos Guimarães aprovou o PIMS Multicultivo, da Totvs. Entre as utilidades, o programa gerencia o manejo fitossanitário da fazenda, do planejamento da melhor data de aplicação até o controle de estoque de defensivos. O programa roda em computadores e em aparelhos móveis, como tablets com sistema Android.

CLIMA

Previsões na palma da mão

A Climatempo lançou o aplicativo Agroclima Pro, primeiro serviço de previsão do País que integra dados das estações meteorológicas das fazendas, permitindo previsões personalizadas e com até 15 dias de antecedência. Além disso, a ferramenta oferece um mapeamento completo do balanço hídrico e alertas fitossanitários para a tomada de decisões mais assertivas nas aplicações de defensivos agrícolas. Parte do serviço é gratuito, mas há pacotes de dados mais completos de até R$ 300 por mês. 

SOJA

Computação da produtividade

A americana Benson Hill Biosystems e a argentina GDM Seeds fecharam, em julho, um acordo estratégico para a aceleração de cultivos de soja. Com o uso de análise maciça de dados e computação cognitiva, as empresas darão origem ao CropOS. A proposta é que a ferramenta possibilite maior agilidade no processo de obtenção de novas cultivares de soja. 

MAPEAMENTO

Acesso fácil ao crédito rural

A agtech paulista Agronow lançou recentemente o Agronow Business Viewer. A partir de mapeamento via satélite, a ferramenta levanta dados de propriedades rurais indicando as áreas mais produtivas e com maior potencial de negócios, além de prever safras. Com isso a tecnologia pode ser uma grande aliada do produtor na tomada de crédito rural, pois dá mostra o que será produzido na fazenda. “A solução fornece informações que aperfeiçoam muito os trabalhos de campo e as visitas de prospecção necessárias no mercado de seguro rural”, diz o biólogo Antônio Morelli, CEO da Agronow.

FRANGO

Genética garantida

A americana Cobb-Vantress lançou recentemente o Global Planning. Trata-se de uma plataforma on-line capaz de assegurar o abastecimento de material genético de aves destinadas aos criatórios de corte. O sistema integra as seis unidades de negócios da empresa no mundo, além de seus 60 distribuidores. Com isso a empresa passa a gerenciar com precisão a demanda por genética de aves no mercado.

INAUGURAÇÃO

Espaço colaborativo para startups

Em julho, a brasileira Inove Cloud abriu o seu centro de inovação no CO.W Coworking Space, na capital paulista. A ideia é garantir um espaço de trabalho colaborativo para que startups possam se desenvolver, tendo acesso às tecnologias de ponta, como o IBM Watson, a internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) e o Blockchain, sistema de registros que garante a segurança de dados. As agtechs têm espaço garantido.

IRRIGAÇÃO

Unidas pela economia de água

A alemã Bayer e a israelense Netafim anunciaram, em julho, que estão unindo forças para uma tecnologia que vai aliar a proteção de cultivos e o uso eficiente de água na agricultura. Através do projeto DripByDrip está sendo desenvolvido um sistema de gotejamento que vai distribuir água, nutrientes e defensivos direto na raiz da planta. O sistema já foi testado em cultivos de pimenta, tomate, melão e uva no México. O plano das companhias é lançar o sistema lá até o final deste ano.

Por Fábio Moitinho


Fonte: Dinheiro Rural