Artigos

A Surpreendente Correlação entre Petróleo, Açúcar e o Real Brasileiro - Por Por Andy Hecht

Postado em 15 de Maio de 2020

Quando a maioria das pessoas pensa em petróleo, a última commodity que vem à mente é o açúcar. O petróleo bruto é o principal membro do setor de energia no mercado de commodities. O contrato de futuros de petróleo normalmente possui o nível mais alto de volume negociado e juros em aberto - também conhecido como o maior número de posições longas e curtas em aberto. Os futuros de petróleo bruto são negociados na divisão NYMEX da Chicago Mercantile Exchange.

O açúcar, uma commodity agrícola, pertence ao setor de softs. Ele tende a ter o nível mais alto de volume e de interesse aberto entre todas as mercadorias leves negociadas na Intercontinental Exchange ou ICE.

Os preços do açúcar e do petróleo futuro se correlacionam porque, em algumas partes do mundo, como no Brasil, o açúcar é o principal ingrediente do etanol. De fato, o petróleo e o açúcar caíram para novas mínimas em abril.

Como muitos devem se lembrar, abril foi um mês feio no mercado de petróleo bruto. Na verdade, foi o mês mais feio de todos os tempos para as commodities de energia no mercado futuro da NYMEX.

O próximo mês caiu abaixo da mínima recorde de 1986, a US$ 9,75 por barril. Também caiu abaixo de zero, para uma incrível mínima de - US$ 40,32.

Os futuros de açúcar também atingiram uma mínima de vários anos no mês passado

Açúcar por Trimestre 1980 – 2020

O preço dos futuros de açúcar na Bolsa Intercontinental caiu para um mínimo de 9,05 centavos de dólar por libra-peso em abril. A última vez que a commodity agrícola doce caiu abaixo desse preço foi em setembro de 2007.

O Brasil é o principal produtor e exportador mundial de cana-de-açúcar. O que significa que o açúcar tem tudo a ver com o Brasil, onde a commodity agrícola desempenha um papel duplo.

Embora o açúcar seja um ingrediente crítico em muitos produtos alimentícios, também é o principal insumo na produção de etanol no Brasil, que é, junto dos EUA, o maior produtor de etanol do mundo. Nos EUA, o milho é o ingrediente do biocombustível, mas no Brasil, trata-se do açúcar.

Etanol por Trimestre 2004 – 2020

O preço do etanol futuros caiu para uma baixa recorde de 79,9 centavos de dólar por galão em abril de 2020. O petróleo bruto pesava sobre o etanol, e o etanol enviou o açúcar a uma mínima em treze anos.

A moeda brasileira é outro fator-chave no mercado de açúcar. Seu recente declínio criou uma tempestade quase perfeita de baixa.

Ao mesmo tempo em que a liquidação de petróleo estava tornando o preço do açúcar muito menos adocicado, o preço do real se somava ao preço de baixa no mercado futuro de açúcar.

Como o Brasil é o principal produtor, os custos de produção local, que incluem mão-de-obra para cultivar, usinar e transportar açúcar, são em moeda local. O preço futuro do açúcar na ICE é em termos de dólar norte-americano - portanto, quando o valor da moeda brasileira diminui, tende a pressionar o preço da commodity.

USD/BRL Mensal 2007 – 2020

O real caiu para o nível mais baixo em US$ 0,16775 em relação ao dólar em maio (o autor optou por ver a variação do dólar em relação a 1 real, diferentemente do praticado no mercado brasileiro, em que se observa a variação do real em relação a 1 dólar, que na máxima chegou a R$ 5,99). A tendência no par de moedas é de queda desde que o real foi negociado em uma alta de US$ 0,65095 em relação à moeda dos EUA em 2011 - ou seja, o dólar estava em R$ 1,53.

O açúcar é altamente sensível aos preços da energia, mas também reflete o diferencial de moeda entre o real e o dólar. O açúcar foi negociado a uma máxima de 36,08 centavos de dólar por libra em 2011, quando o real atingiu R$ 1,53 em relação ao dólar. A 10,29 centavos de dólar no final da semana passada, o preço do açúcar havia caído 71,48% desde 2011. Com o real a R$ 5,76/dólar, a moeda brasileira caiu 73,36%. O resultado é que o preço do açúcar no Brasil em maio de 2020 é 1,88% maior do que em 2011, quando era negociado a mais de 36 centavos de dólar por libra.

Ao negociar ou investir no mercado de açúcar, o petróleo e o real são dois fatores críticos a serem observados. Cada um pode influenciar o caminho de menor resistência ao preço da commodity doce.


Fonte: Investing.com