Clipping

A tecnologia híbrida e o uso do etanol

Postado em 3 de Junho de 2020

O primeiro carro a álcool do país completa 42 anos de história em 2020. Nas minhas memórias de infância, o Fiat 147 aparece na cor branca. Lembro da pesquisa de preços que meu pai fazia nos postos, e das queixas em relação ao carro. Ele preferia a Rural Willys azul e branca a gasolina, mas ficou animado com o Proálcool (lançado em 1975 pelo então presidente Ernesto Geisel) e a possibilidade de reduzir os custos com combustível.

Ao longo da história, a indústria brasileira tem feito esforços para apresentar alternativas mais sustentáveis e competitivas. No ano de 2003, surgia o primeiro carro bicombustível, o Gol Total Flex, produzido pela Volkswagen, que rodava tanto com gasolina quanto com etanol.

No momento atual, todos os esforços estão voltados para a eletrificação, e as principais marcas em atuação no mercado brasileiro disponibilizam modelos elétricos ou híbridos. A maioria em carros premium, mas a julgar pela velocidade da consolidação desta tendência, os preços tentem a cair mais rápido do que se imagina, tornando a tecnologia mais popular.

Em 2019, a Toyota lançou a 12ª geração do Corolla, o primeiro veículo híbrido flex do mundo, que é fabricado no Brasil, em São Paulo. Até então, os híbridos à venda no país usavam apenas gasolina, a exemplo do Prius, que também é da montadora japonesa. A marca acredita que o modelo é um novo divisor de águas na indústria automotiva nacional. Trata-se do casamento da tecnologia híbrida com a eficiência de um combustível puramente brasileiro.

A indústria nacional demonstrou pioneirismo, com a introdução de um combustível totalmente renovável, o etanol. E a utilização dele com a tecnologia híbrida reforça ainda mais essa vanguarda. A Toyota explica que existiu uma parceria de engenheiros brasileiros e japoneses para o desenvolvimento da tecnologia híbrida flex.

Os resultados confirmam que a inovação foi aprovada, “as vendas do modelo surpreenderam e tivemos que ampliar o mix do Corolla híbrido flex para atender à grande demanda após o seu lançamento”, explica o diretor comercial da Toyota do Brasil, Vladimir Centurião. E mais um ponto a favor da nova geração do Corolla. O Inmetro atualizou o ranking dos carros mais econômicos à venda no Brasil: ele é o segundo da lista.


Fonte: A Tarde On Line