Clipping

Açúcar: Após se aproximar dos US$ 18 c/lb, NY cai e fecha próximo da estabilidade

Postado em 2 de Junho de 2021

Mercado acompanha atentamente avanço da safra brasileira 2021/22, mas pesa realização de lucros

​As cotações futuras do açúcar encerraram esta quarta-feira (02) próximas da estabilidade nas bolsas de Nova York e Londres. O mercado reduziu ganhos ao longo do dia com movimentação técnica depois de se aproximar dos US$ 18 c/lb no terminal norte-americano.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York registrou desvalorização de 0,06%, cotado a US$ 17,68 c/lb, com máxima de 17,93 c/lb e mínima de 17,49 c/lb. Enquanto que o tipo branco em Londres caiu 0,09%, negociado a US$ 464,50 a tonelada.

Depois de três sessões em alta, se aproximando da conquista do importante patamar de US$ 18 c/lb, com máximas de cerca de três semanas nesta quarta, o mercado do açúcar nos terminais externos registrou leve baixa, ficando próximo da estabilidade com realização de lucros.

Durante o dia, como fator de alta, o mercado seguiu monitorando a condição climática no Brasil, maior produtor e exportador de açúcar do mundo. A safra 2021/22 de cana-de-açúcar do país tem sido impactada por uma seca histórica e há atraso nos trabalhos de moagem.

"Os preços do açúcar viram recentemente o apoio da preocupação de que a secura excessiva no Brasil reduza a produção de açúcar", destacou a fornecedora de informações de commodities Barchart.

"Os temores de clima seco no Brasil continuam, mas as áreas de cultivo do Sul e Sudeste estão recebendo algumas chuvas benéficas, como Paraná e partes de São Paulo", disse em relatório o analista da Price Futures Group.

A trading inglesa Czarnikow vê a condição climática neste mês de junho como crucial para a definição de suas estimativas da nova temporada.

"A curva de rendimento agrícola da cana está caindo neste momento e o tamanho dessa queda é que determinará se o CS esmagará menos do que 558 milhões de toneladas e do que estimamos atualmente para a região", disse a trading em relatório.

No financeiro, as cotações do petróleo avançavam mais de 1% nesta tarde de quarta-feira e contribuíam para a alta. Além disso, o dólar registrava queda sobre o real, o que tende a desencorajar as exportações das commodities, mas dá suporte aos preços internacionais.

Como destaque para o mercado de etanol no dia, houve o anuncio de que o governo da Índia antecipou em dois anos a data prevista para elevação da mistura de etanol na gasolina para 20% em 2023, segundo informação oficial do país reportada pelo The Economic Times.

Mercado interno
O primeiro dia de junho foi marcado por valorização nos preços do açúcar. Como referência, na véspera, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, saltou 0,36%, cotado a R$ 116,23 a saca de 50 kg.

No Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar registrou estabilidade, a R$ 124,52 a saca, segundo dados da consultoria Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha no último dia de apuração disponível o preço FOB cotado a US$ 18,32 c/lb, também estável.

Por Jhonatas Simião

 


Fonte: Notícias Agrícolas