Clipping

Açúcar: após sequência de quedas, commodity volta a valorizar

Postado em 16 de Março de 2020

Na sexta-feira (13), em São Paulo, a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou em R$ 80,20, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP

Na sexta-feira (13) os contratos futuros mais negociados do açúcar demerara fecharam em alta na ICE de Nova York. O lote para maio/20 fechou em 11.70 centavos de dólar por libra-peso, alta de 8 pontos. Os contratos para julho/20 subiram 1 ponto e o lote foi comercializado em 11.64 centavos de dólar por libra-peso. Os demais contratos desvalorizaram entre 1 e 2 pontos.

"Desde a máxima, ocorrida no dia 12 de fevereiro, o mercado despencou de 15.90 para 11.68 centavos de dólar por libra-peso, ou seja, encolheu 26.7% em apenas 22 dias de pregão. Foi a maior queda percentual no período de 22 dias desde maio de 2011 quando o mercado mergulhou de 28.07 para 20.47 centavos de dólar por libra-peso. É importante ressaltar que após a brutal queda ocorrida em 6 de maio de 2011, o mercado recuperou até 25 centavos um mês depois e logo adiante zerou a perda chegando acima de 30 centavos de dólar por libra-peso", analisa o diretor da Archer Consulting, Arnaldo Luiz Corrêa.

Em Londres, na ICE Europe, os papéis para maio/20 foram comercializados em US$ 355,00 a tonelada, alta de 90 cents de dólar. O lote para agosto/20 foi firmado em US$ 345,40 a tonelada, valorização de 60 cents de dólar. Os outros contratos valorizaram entre 20 cents de dólar e 3,50 dólares.

Mercado doméstico

Na sexta-feira (13), em São Paulo, a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou em R$ 80,20, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP. Houve valorização de 0,51% quando comparado ao valor da véspera.


Fonte: Agência UDOP de Notícias