Clipping

Açúcar bruto cai com fraqueza do petróleo e do real; café arábica fecha estável

Os futuros do açúcar bruto na ICE fecharam em queda nesta quinta-feira, após alcançado o maior nível em mais de dois meses na véspera, acompanhando uma baixa nos mercados de petróleo e o enfraquecimento da moeda brasileira, o real, enquanto o café arábica ficou estável e o robusta teve leves perdas.

Açúcar

* O açúcar bruto para março fechou em queda de 0,32 centavo de dólar, ou 2,4 por cento, a 12,85 centavos de dólar por libra-peso.

* Os preços tiveram uma máxima desde 5 de novembro na sessão anterior, a 13,27 centavos de dólar, impulsionados por movimento de alta nos mercados em geral e cobertura de vendidos por especuladores.

* Mas o mercado recuou nesta quinta-feira com operadores apontando para um enfraquecimento do interesse em compras por parte dos especuladores, em meio à queda do petróleo.

* "A paridade do etanol (com a gasolina) vai seguir muito importante ao longo da temporada (2019/20)", disse o analista senior de commodities do Rabobank, Carlos Mera. "Assim, preços do açúcar e do petróleo devem continuar correlacionados".

* Uma desvalorização do real brasileiro também pesou sobre os preços, segundo operadores, uma vez que incentiva vendas de produtores ao aumentar seus retornos na moeda local.

* O açúcar branco para março encerrou em queda de 5,30 dólares, ou 1,5 por cento, para 348,5 dólares por tonelada.

Café

* O café arábica para março ficou estável em relação à sessão aterior, em 1,024 dólar por libra-peso.

* "Chega a ser um pouco impressionante que tenhamos conseguido fechar na estabilidade considerando-se que o real ficou muito fraco", disse um operador nos EUA.

* Preocupações com um possível clima seco no Brasil deram algum suporte às cotações, segundo os operadores.

* O café robusta para março fechou em queda de 4 dólares, ou 0,3 por cento, a 1.535 dólares por tonelada.

Por Ayenat Mersie e Ana Ionova

 

 

 


Fonte: Reuters - Texto extraído do portal Último Instante