Clipping

Açúcar bruto recua na ICE após tocar máxima de 14 meses; café avança

Postado em 7 de Janeiro de 2020

Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE atingiram uma máxima de 14 meses nesta terça-feira, mas devolveram ganhos e encerraram a sessão em queda, pressionados pelo recuo nos valores do petróleo.

AÇÚCAR
* O contrato março do café arábica fechou em queda de 0,14 centavo de dólar, a 13,59 centavos de dólar por libra-peso, após atingir uma máxima de 13,79 centavos —mais alto valor desde 29 de outubro de 2018.

* Operadores afirmaram que a recente alta foi em parte alimentada pelo avanço nos preços do petróleo e pelo enfraquecimento do real verificado desde o início de 2020.

* Nesta quinta-feira, as cotações do petróleo devolveram parte dos ganhos dos últimos dias, com investidores reconsiderando a possibilidade de interrupções imediatas de oferta no Oriente Médio.

* “No que diz respeito ao açúcar, por enquanto vemos poucas novidades para justificar a sustentação de um rali”, disse Nick Penney, operador sênior da Sucden Financial, acrescentando que um teste no nível de 14 centavos é possível se produtores segurarem vendas.

* O açúcar branco para março recuou 1,60 dólar, para 362,80 dólares por tonelada.

CAFÉ
* O contrato março do café arábica fechou em alta de 0,25 centavo de dólar, a 1,2240 dólar por libra-peso.

* Mesmo com a alta, operadores disseram que o panorama técnico aparenta ser baixista no curto prazo. O vencimento recuou após ter atingido máxima de dois anos em 17 de dezembro, a 1,4245 dólar.

* O café robusta para março avançou 12 dólares, para 1.364 dólares por tonelada.

* Operadores disseram que os embarques do Vietnã, maior produtor global de robusta, estão começando a crescer após atrasos na colheita, embora o progresso permaneça aquém do ritmo verificado na temporada anterior.

Por Nigel Hunt

 


Fonte: Reuters