Clipping

Açúcar busca suporte moderado no consumo de etanol no Brasil e NY olha estoques

Postado em 13 de Fevereiro de 2019

Com os compradores vendo alguma possibilidade de os estoques brasileiros de etanol ficarem mais baixos nos próximos meses, ante uma safra que deverá começar (abril) prejudicada em volume, Nova York deu reação ao açúcar nesta terça-feira (12).

Os ganhos foram limitados, ante a perda mínima de 4 pontos da véspera, em 17 pontos no contrato maio, agora o principal, fechado em 12.66 c/lp.

Com o petróleo aberto em alta, mantendo-se pouco acima dos US$ 62,00 em Londres, os negócios na ICE já vinham melhores, consolidados pelo relatório da Unica - que representa as indústrias do Centro-Sul - que deu um total de vendas de 1,8 bilhão de litros em janeiro.

O mês passado de fato o biocombustível de cana manteve-se competitivo, com os preços em baixa em plena entressafra mesmo com o petróleo ultrapassando os US$ 60 a maior parte do tempo.

Volume recorde de consumo, se comprado com janeiro de 2018, mas bem abaixo de dezembro. Mesmo assim, o mercado, que trabalha com poucas novidades relevantes de fundamentos, precificou essa expectativa mais baixa de etanol.

Martinho Ono, da SCA Trading acredita, no entanto, que não deverá haver descasamento pelos volumes remanescentes, embora também espera para ver a produção de março, quando algumas indústrias já entram em operação, mesmo com menos cana pela seca, contra a moagem residual desta entressafra.

Ontem, ao Notícias Agrícolas, Maurício Muruci, da Safras & Mercados, lembrou também que a Unica viria com esses dados mais positivos para o etanol, adicionando que as chuvas desta semana em várias regiões de cana poderia limitar os ganhos do açúcar.

Semana próxima a precipitação deve cessar - e então pode haver algum movimento adicional de alta.

Por Giovanni Lorenzon

 

 

 


Fonte: Notícias Agrícolas