Clipping

Açúcar: força do dólar e mercado indiano derrubam cotações

O mercado de açúcar encerrou a semana passada em queda e, de acordo com a Agência Reuters, se aproximou de uma mínima de quase três anos, motivado pelo enfraquecimento do real ante o dólar norte-americano, enquanto o índice do dólar subiu para a sua máxima em mais de um ano.

Em Nova York, os papéis com vencimento para outubro/18 encerraram a semana em 10.54 centavos de dólar por libra-peso, queda de 30 pontos. Na tela março/19 os contratos foram firmados em 11.50 centavos de dólar por libra-peso, desvalorização de 29 pontos. Os demais contratos fecharam com queda entre 26 e 30 pontos.

O consultor Arnaldo Luiz Corrêa, da Archer Consulting, destacou em análise que, em Nova York, os contratos mantêm firme sua trajetória descendente alimentada pelas afamadas fixações tardias das usinas e ajudada pela desvalorização do real. Corrêa destaca ainda que as notícias vindas da Índia também ajudaram a derrubar o mercado. "A Associação das Usinas de Açúcar da Índia (ISMA) pediu ao governo indiano que 20% da produção de açúcar fosse compulsoriamente exportada. Isso representa 7 milhões de toneladas de açúcar, apesar do abismo que separa o custo de produção do preço de mercado".

Em Londres, os contratos com vencimento em outubro/18 encerraram a sexta-feira em US$ 315,70 a tonelada, baixa de 6 dólares. Na tela dezembro/18 os negócios foram firmados em US$ 318,00 a tonelada, queda de 5,30 dólares. Os demais vencimentos caíram entre 5,30 e 6,30 dólares.

Mercado interno

Em São Paulo a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou na sexta-feira em R$ 50,79, ligeira alta de 0,04%, de acordo com o indicador Cepea/Esalq, da USP.

 

Por Rafaela Giomo


Fonte: Agência UDOP de Notícias