Clipping

Açúcar/Archer: forte queda dos futuros e alta do dólar preocupam usina com dívida na moeda estrangeira

Postado em 10 de Março de 2020

São Paulo - A forte baixa do açúcar no mercado futuro da Bolsa de Nova York (ICE Futures US), puxada pela queda do petróleo, aliada à valorização do dólar em relação ao real é preocupante sobretudo para as usinas brasileiras que têm dívidas em dólar. Isso porque as empresas terão de entregar mais açúcar para pagar seus débitos, avalia o consultor Arnaldo Correa, da Archer Consulting. Ele estima que 30% das dívidas das usinas são na moeda americana atualmente.

Mas, para as usinas que não têm dívidas em dólar, mesmo com o recuo na casa de 5% das cotações hoje e o dólar a R$ 4,77, a rentabilidade “é boa”, disse. Pelos cálculos do consultor, o custo de produção atual está em R$ 1.200,00 por tonelada. Considerando a cotação de hoje, a usina receberia R$ 1.350,00 por tonelada de açúcar.

A queda do petróleo também vai derrubar os preços do etanol, segundo Correa. “Não me lembro de uma situação dramática assim como esta. Talvez na época Guerra do Golfo”. Ele afirmou que a Petrobras terá de diminuir o preço da gasolina. Assim, com o recuo da gasolina nos postos haverá pressão sobre a paridade do etanol em relação ao combustível fóssil.

 


Fonte: Broadcast