Clipping

AIE diz que demanda de petróleo não se recuperará totalmente em 2021

Postado em 15 de Dezembro de 2020

Levará vários meses até que as vacinações contra o coronavírus comecem a impulsionar a demanda global por petróleo, com a recuperação em alguns dos países ricos do mundo "retrocedendo" neste trimestre, disse a Agência Internacional de Energia (AIE) nesta terça-feira.

Em seu relatório mensal do mercado de petróleo, a AIE reduziu sua previsão de recuperação da demanda para 2021 em 170 mil barris por dia para 5,7 milhões de barris por dia. Isso incluiu um corte de 400 mil barris por dia em sua previsão de demanda para o segundo trimestre, quando os analistas esperavam que a expansão dos programas de vacinação em todo o mundo começasse a impulsionar a atividade econômica.

A agência também reduziu sua previsão de demanda para o último trimestre de 2020. A demanda se recuperou um pouco na segunda metade do ano de sua queda histórica de 16% no segundo trimestre, mas esse ressurgimento "é quase inteiramente devido à rápida recuperação da China do bloqueio ", disse a AIE. Mas a perspectiva de demanda nos países ricos que compõem a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é "desoladora".

Com outra onda de infecções levando a um retorno às medidas de bloqueio na Europa, a demanda nos últimos três meses do ano deve ser ainda mais fraca do que no terceiro trimestre, acrescentou a agência.

A provável pressão contínua sobre o setor de aviação civil no ano novo é um dos principais fatores por trás dos rebaixamentos da AIE. Ele disse que a demanda mais fraca por combustível para aviação e querosene no próximo ano será responsável por 80% da queda de 3,1 milhões de barris por dia na demanda geral em relação a 2019, significando que o mundo em 2021 irá recuperar apenas dois terços da demanda perdida neste ano.

Os preços do petróleo operam em queda leve nesta terça-feira. Os preços dos contratos para fevereiro do Brent, a referência global, cai 0,14%, a US$ 50,22 o barri, e os preços dos contratos para janeiro do WTI, a referência americana, recuam 0,02%, a US$ 46,97 o barril.

Na segunda-feira, os preços de ambos os ativos de petróleo atingiram seu maior nível desde o início de março, com o otimismo sobre as vacinas contra o coronavírus alimentando fortes altas entre os ativos financeiros e particularmente aqueles que foram atingidos pelas restrições postas em prática para conter o aumento das taxas de infecção.

As expectativas mais brandas da AIE para o ano que se segue vieram um dia depois que a Organização para os Países Exportadores de Petróleo (Opep) fez um corte semelhante em suas previsões. As mudanças vêm no final de um ano instável para os mercados de energia, com os preços do petróleo dos EUA caindo abaixo de zero pela primeira vez em abril, quando os estoques de petróleo não utilizado ameaçaram sobrecarregar a capacidade do mundo de armazená-los.

Ainda assim, o início dos programas de vacinação, a recuperação da economia chinesa e a disciplina de abastecimento dentro da aliança Opep+ representam motivos para otimismo, disse a agência.

* Com Dow Jones Newswires


Fonte: Valor Econômico