Clipping

Análise Datagro: Câmbio e estoques ameaçam competitividade do açúcar

Passadas as frustrações do mercado pelas promessas não-cumpridas da campanha do presidente americano Donald Trump, o dólar finalmente voltou a ganhar espaço na última semana à medida que elementos do plano de reforma tributária começam a conquistar a confiança do mercado financeiro. Em um mês, a moeda norte-americana subiu 2,7% frente ao Real para R$ 3,1688/US$.
 
Para a Datagro Consultoria, esse contexto do mercado cambial tende a ser fundamental para compreender o retorno da União Europeia (UE) no quadro mundial das exportações de açúcar durante a safra 2017/18. O aperto nos estoques de açúcar no balanço doméstico, que tem mantido os preços em alta, pode sustentar a disposição do bloco em manter a produção num nível ainda razoável para recuperar seus estoques internos.
 
O preço do açúcar atingiu EUR 501/ton em julho, alta de 14,6% em um ano. Em paralelo, o preço do açúcarbranco em Londres recuou 25,7% em um ano para US$ 378,06/ton em julho, ou seja, 43,6% abaixo do valor praticado no mercado europeu, o que põe em dúvida a disposição dos produtores do bloco em atender o mercado externo após o fim do regime açucareiro, sem antes reconstruir os estoques a nível doméstico, onde os preços são mais atrativos.

Fonte: Datagro