Clipping

Angola: Biocom Produz 110 mil toneladas de açúcar na temporada 2019

Postado em 17 de Dezembro de 2019

A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom), instalada no município de Cacuso, em Malanje, produziu na presente safra (Maio a Novembro), 110 mil toneladas de açúcar, um aumento de 37 mil toneladas  comparativamente a igual período do ano anterior. Segundo o director-geral adjunto da Biocom, Luís Bagorro Júnior, quando fazia o balanço das actividades desenvolvidas durante o ano agrícola 2019, que encerrou no dia 26, foram produzidas, igualmente, 14 mil metros cúbicos de etanol e 60 mil Megawatts de energia renovável.

Produção

O responsável realçou que a quantidade de açúcar equivale a 2.200 sacos de 50 quilogramas (kg) e, permitiu reduzir as importações do produto em cerca de 35 por cento das necessidade de consumo do mercado interno, estimadas em 80 por cento. A Biocom que iniciou a sua produção em Junho de 2014, produz ainda sacos de açúcar de cinco e mil kg, comercializado localmente bem como consumidores de outras partes do país, com realce para os agentes grossistas. Luís Bagorro Júnior revelou ainda que, a empresa controla mais de 200 clientes, com realce para as grandes superfícies comerciais, com destaque para a cadeia de supermercados Shoprite, Kero,Candando, entre outras, que operam no país. De acordo ainda com o gestor, da companhia foram processadas ou moídas 1.070 toneladas de cana-de-açúcar, que constitui a principal matéria-prima utilizada para o fabrico de açúcar, etanol e energia. Durante o ano agrícola que encerrou estiveram envolvidos 2.800 trabalhadores, maioritariamente nacionais, dos quais 2.500 oriundos da província de Malanje.

Energia renovável

A energia produzida na unidade fabril é fornecida à Rede Nacional de Transporte de energia (RNT), enquanto o etanol é destinado às empresas de bebidas e alimentícias. No próximo ano, adiantou Luís Bagorro Júnior, estão em curso alguns estudos com vista o aumento da produção, sendo que o foco principal da empresa continua a ser o aumento da produção interna para que o Estado reduza a pressão nas divisas e diminuir a importação de açúcar. Segundo disse, até ao final do ano, a Biocom vai contar com pouco mais de 10 mil toneladas para a comercialização. “O ano agrícola 2019 foi para a Biocom um exemplo de que a produção agrícola industrial nacional é possível e, só depende de nós, angolanos para fazer acontecer com a participação de todos envolvidos na cadeia produtiva”, sublinhou. O responsável, que destacou ainda a realização de várias acções no âmbito da responsabilidade social da empresa, tendo apontado o projecto de fabrico de sabão artesanal para a geração da renda às mulheres do município de Cacuso.

 


Fonte: Biocom