Clipping

Após venda de usina, valor da Biosev aumenta R$ 2,6 bi

Impulsionadas pelo processo de venda de ativos, as ações da sucroalcooleira Biosev, empresa controlada pela francesa Louis Deyfus, voltaram a registrar forte alta nesta terça-feira. Em pouco mais de mês, o valor de mercado da empresa já aumentou R$ 2,6 bilhões, para R$ 5,1 bilhões.

Na B3, os papéis da companhia encerraram a sessão desta terça-feira cotados a R$ 5,03, valorização de 10,79%. O Ibovespa registrou leve baixa de 0,35%.

No pregão de hoje, as ações da Biosev foram puxadas pela notícia, reportada ontem pela agência Reuters, de que a empresa contratou a divisão de serviços financeiros da Datagro e a unidade de investimentos do Santander para auxiliar na venda de mais usinas de cana-de-açúcar.

Com a venda dos ativos, a Biosev pretende reduzir o endividamento. No fim do primeiro trimestre da safra atual (2018/19), em 30 de junho deste ano, a dívida líquida da empresa somava R$ 4,966 bilhões e o índice de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado em doze meses) estava em 2,9 vezes.

Em 20 de setembro, a Biosev fechou a venda da Usina Estivas, em Arez, no Rio Grande do Norte, por R$ 203,6 milhões, para um fundo de investimentos. Na ocasião do anúncio, as ações da Biosev também tiveram forte valorização.

Desde a venda da Usina Estivas, o preço ações da Biosev mais do que dobrou, saindo de R$ 2,33, em 20 de setembro, para R$ 5,03, em 23 de outubro.

 


Fonte: Valor Econômico