Clipping

Aprobio afirma nunca ter faltado biodiesel para atender demanda do mercado

Postado em 17 de Agosto de 2020

Setor destaca a importância da seriedade e confiabilidade da gestão do processo e respeito às regras do sistema por todos os agentes envolvidos

Sobre o debate atual em relação à evolução do Leilão de Biodiesel L75, a APROBIO esclarece que o setor de biodiesel tem plenas condições de atender à demanda do mercado com volume e qualidade. O que está em questão não é a falta biodiesel e sim a não finalização do L75 dando sequência de onde ele parou.

Os produtores no Brasil têm uma capacidade de oferta instalada de 1,6 milhões de m³ para o bimestre. Nas atuais condições com B10, o L75 terá uma demanda de pouco mais de 1 milhão de m³ e, portanto, será concluído com oferta superior à demanda.

Cenário Macroeconômico

A oferta de produto para cada leilão depende de condições macroeconômicas e elas devem ser consideradas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na formulação do Preço Máximo de Referência (PMR).

Para o leilão em curso, a ANP estabeleceu um PMR abaixo do custo de produção, ignorando a variação de preços e câmbio de referência para cálculo do PMR, a saber: soja à vista (+18,12%), sebo bovino (+26,87%) e dólar (+4,24%).

Mesmo alertada oficialmente pelos representantes do setor sobre os impactos desta condição na realização do leilão 75, a ANP desconsiderou essa posição. Nessas condições, as empresas trabalham com margens negativas, o que torna o negócio inviável.

Fortalecer o Renovabio

Importante que cada agente do processo não crie suspensão sobre a cadeia de produção de modo a acarretar o enfraquecimento do sistema, com prejuízo para as conquistas que levou tanto tempo para se atingir.

A Aprobio reforça a importância de se garantir as condições do sistema e que sejam respeitadas por todos os agentes envolvidos no processo. Só com previsibilidade será possível fortalecer a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio).

O setor de produtores de biodiesel reivindica que seja dada a imediata continuidade à Etapa 4 do Leilão em andamento, suspensa no último dia 07/08/2020, de modo a não causar maiores prejuízos às usinas. Que assim seja garantida a credibilidade que o mercado espera do certame -- e que essas interferências não voltem a ocorrer de modo a sustentar a retomada.

 


Fonte: Aprobio