Clipping

Arysta LifeScience apresenta soluções para canaviais durante seminário

A Arysta LifeScience participa do 16° Seminário de Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira, nos dias 06 e 07 de dezembro, em Ribeirão Preto (SP). A empresa reforça os fisioativadores Raizal e Biozyme como soluções para cana soca e cana planta, a fim de aumentar a produtividade dos canaviais e proporcionar maior qualidade ao plantio. “Reduzir custos e aumentar a produtividade são prioridades na agroindústria canavieira e é preciso saber quais estratégias adotar para obter resultados superiores diminuindo o custo por tonelada de cana processada”, diz Carlos Peres, coordenador de produtos e mercados para cana-de-açúcar & pastagem da Arysta LifeScience.

Durante o evento, a Arysta apresenta o Raizal como uma nova ferramenta para cana soca. Uma tecnologia para o corte de soqueira em áreas com nematóides, migdolus e sphenophorus. “É uma solução capaz de maximizar o potencial da planta proporcionando maior enraizamento, absorção de água e nutrientes, maior vigor, produtividade e resultados em ATR (açúcar)”, comenta Carlos.

Já o Biozyme para cana planta está disponível no mercado desde 2009, e agora tem seu posicionamento evoluído para cana soca. “Entre os benefícios em cana planta, destacam-se melhora do plantio, melhora no arranque inicial, redução de falhas, maior produtividade e longevidade nos canaviais, com um custo benefício excelente. Após o ótimo desenvolvimento e adoção, atingindo hoje mais de 30% de todo plantio nacional de cana, o posicionamento técnico do Biozyme foi estendido para aplicação em cana soca, e já conta com excelentes resultados e validações técnicas de importantes  instituições”, completa Peres.

A Arysta também reforça o conceito Pronutiva, pacote de soluções que reúne proteção e nutrição de plantas, sendo um sinônimo de saúde vegetal. Além disso, a empresa promoveu a palestra sobre “Tecnologias e desafios da nutrição da cana”, no dia 06 de dezembro. Ministrada pelo professor Gaspar Henrique Korndorfer, da Universidade Federal de Uberlândia, e pelo consultor de marketing Pronutiva da Arysta, Edivaldo Luiz Panini, que abordou o incremento de produtividade e qualidade da matéria-prima com uso de fisioativadores em cana-de-açúcar.

“Em 2017 houve uma redução na produção devido a seca e o envelhecimento dos canaviais e a probabilidade de diminuição da produtividade se mantém para 2018, com a baixa expectativa do plantio. Porém, consideramos que agora é o momento para investir em tecnologias para cana soca, retomar o cultivo e buscar maior produtividade”, complementa Peres.

 

Por Monique Oliveira

     

 


Fonte: Grupo Cultivar