Clipping

Asplana alerta para reflexo da queda do petróleo no setor canavieiro

Postado em 10 de Março de 2020

A queda do preço do petróleo – em resposta ao avanço do coronavírus pelo mundo – disparou o sinal de alerta para o segmento canavieiro. Segundo o presidente da Associação dos Plantadores de Cana-de-Açúcar de Alagoas – Asplana, Edgar Filho, diante do cenário atual, a produção de etanol pode ser impactada de forma negativa.

“O etanol pode não ficar competitivo. O mundo está com medo que ocorra um recuo da economia global por conta do vírus. Com isso, pode ser que ocorra uma diminuição do consumo. A commodity funciona com especulação. O preço do petróleo desabou. A Rússia que também é uma grande produtora de petróleo ignorou o aviso da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e elevou a oferta do produto, inundando o mercado. Os alistas alegam que deve haver muito petróleo para pouco consumo”, avaliou Edgar Filho.

Segundo o dirigente do setor sucroenergético alagoano, que representa mais de sete mil fornecedores de cana do Estado, a safra em Alagoas, como reflexo a movimentação da economia mundial, deve ampliar a produção de açúcar em detrimento a de etanol. “Devemos ter uma safra açucareira. Afinal, o preço do açúcar está reagindo”, alertou.

Commodity

Produto que funciona como matéria-prima, produzido em escala e que pode ser estocado sem perda de qualidade, como petróleo, suco de laranja congelado, boi gordo, café, soja e ouro. Commodity vem do inglês e originalmente tem significado de mercadoria.

 


Fonte: Jornal de Alagoas