Clipping

Atvos afirma que comercializou 1,8 milhão de CBios em 2020

Postado em 21 de Janeiro de 2021

A Atvos, sucroenergética da Odebrecht cujo controle passou recentemente ao fundo Lone Star, encerrou 2020 com a marca de 1,8 milhão de créditos de descarbonização (CBios) vendidos.

A companhia, que está em recuperação judicial, afirma ter potencial para emitir 2,5 milhões de créditos por safra, devido à capacidade de estocagem de etanol que possui em relação a sua capacidade de produção e a sua eficiência.

Segundo a empresa, esse total pode representar uma receita de mais de R$ 100 milhões, já que o valor médio de cada crédito na B3 em dezembro ficou em R$ 43.

O ano passado foi o primeiro do RenovaBio, programa federal de incentivo a combustíveis mais sustentáveis. A Atvos é uma das maiores emissoras do programa, que tem certificadas 217 unidades produtoras de etanol, 22 de biodiesel e uma de biometano.

Em 2020, as distribuidoras de combustíveis cumpriram quase 98% da meta do RenovaBio, que previa a absorção de 14,9 milhões de créditos. As metas de descarbonização não foram cumpridas por 35 de 141 distribuidoras de combustíveis no ano passado, segundo a ANP.

Cada CBio equivale a uma tonelada de gás carbônico cuja emissão foi evitada pelo uso de biocombustível. Eles foram criados com a implementação do RenovaBio – as regras do programa estabelecem que as usinas de biocombustíveis emitem os créditos, que são comprados por distribuidoras de combustíveis fósseis. A comercialização ocorre na B3.


Fonte: Nova Cana - retirado do Portal SIAMIG