Clipping

Banco MUFG busca grandes do agronegócio para crescer

Postado em 4 de Fevereiro de 2019

Para atrair empresas como ADM, Bunge, Cargill e Louis Dreyfus, a filial brasileira oferece produtos escassos por aqui

O Banco MUFG Brasil quer emprestar mais dinheiro ao agronegócio que atua no Brasil. Para atrair empresas como ADM, Bunge, Cargill e Louis Dreyfus - que costumam tomar recursos no exterior -, a filial brasileira oferece produtos escassos por aqui, como desconto de recebíveis, que nada mais é do que um adiantamento ao exportador do que ele irá receber do importador. "São poucos (os bancos) que oferecem isso porque é preciso estrutura lá fora para avaliar o comprador", diz Victor Carneiro, responsável pela área de agronegócios do MUFG Brasil. Além de tradings, a instituição também está de olho em projetos envolvendo fusões e aquisições de empresas de agroquímicos. A expectativa é elevar a receita de US$ 1,7 bilhão em 2018 para US$ 2,1 bilhões em 2019.

Diversifica.
Multinacionais do agro são o segundo maior grupo de clientes do MUFG Brasil. O primeiro lugar é ocupado por companhias sucroenergéticas e, na terceira posição, estão empresas de produção de grãos. Em todos os casos, a prioridade não é ter muitos, mas seletos clientes e, para eles, oferecer diversos serviços. Em 2018, 30 companhias do setor foram atendidas. Para este ano, Victor Carneiro espera chegar a 40. Por trás do otimismo está também a promessa do novo governo de adotar políticas econômicas liberais.

 


Fonte: Broadcast Agro