Clipping

Biocombustíveis podem tirar o País da dependência da gasolina

Com o preço da gasolina superando a casa dos R$ 4,50 e o etanol sendo encontrado abaixo de R$ 3,00, muitos motoristas têm optado por utilizar o álcool em seus veículos flex. O alto preço da gasolina é devido ao aumento da cotação internacional do petróleo e também à desvalorização do real frente ao dólar. Diante desse cenário, será que os biocombustíveis se configuram como a solução para reduzir o problema da elevação do preço dos combustíveis derivados de petróleo?

Para responder a essa questão, Pedro Cortês, professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental (Procam) do Instituto de Energia e Ambiente (IEA), ambos da USP, conversa conosco. Ele explica que, para pensar o tema, deve-se levar em consideração a política de preços da Petrobras, que foi muito discutida durante a greve dos caminhoneiros. Foi cogitado o estímulo ao uso de biocombustíveis como alternativa aos combustíveis fósseis, de modo que o impacto da cotação internacional do petróleo e do dólar fosse amenizado. Entretanto, havia dúvida sobre a real possibilidade de os biocombustíveis substituírem o petróleo, já que a Petrobras repassa as cotações internacionais para os preços internos.

Cortês conta que, apesar desse cenário econômico envolvendo a Petrobras, o biocombustível, além de uma solução ambiental, pode ser também uma solução econômica. Há indicações de que o etanol é viável para substituir a gasolina, caso esteja com seu preço em até 70% do valor da última, isso porque o álcool tem poder calorífico menor que o do combustível fóssil, e, portanto, rende menos. Ele lembra, no entanto, que veículos mais modernos têm maior eficiência na queima do etanol, que passa a ser atrativo, com preços de até 80% menor que da gasolina. Isso, no entanto, não ocorre com o biodiesel, mas há, ainda, outras fontes de biocombustíveis, como a soja e o milho, que podem ser matéria-prima do etanol para além da cana-de-açúcar.


Fonte: Jornal da USP