Clipping

Biosev amplia flexibilidade de mix

O Brasil atingiu o recorde de produção de etanol na última safra, fechando o ciclo com 33,14 bilhões de litros, um aumento de 21,7% ante o ciclo anterior, de acordo com dados do Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O cenário reflete os resultados da Biosev S.A., que no acumulado dos nove meses da safra 2018/2019 já atingiu recorde em produção de etanol, superando o volume total do ciclo anterior. 

Foram produzidos 1.414 mil m3 de etanol até o nono mês da safra – último resultado fechado e divulgado –, contra 1.286 mil m3 ao final da safra 2017/2018. A Biosev também foi a processadora de cana-de-açúcar com o mix mais alcooleiro entre as principais empresas do setor: 64,6% dedicado à produção de etanol, maior índice registrado na história da companhia, e um aumento de 13,6 pontos percentuais em comparação ao período anterior.

Segundo Juan José Blanchard, presidente da Biosev, a decisão estratégica de produzir mais álcool esteve atrelada aos baixos preços de açúcar no cenário mundial. “Na safra 2018/2019 a produção do etanol passou a ser economicamente mais interessante, cenário que deve ser parecido neste ano. Para a safra 2019/2020 a expectativa nas unidades de SP e MG é de iniciarmos com uma safra alcooleira, virar para um mix açucareiro no meio, e finalizar novamente com o etanol em alta”, explica. Já no MS, as duas usinas da empresa devem se manter com máxima produção de etanol durante todo o ciclo.

“A possibilidade de alteração do mix produtivo de forma ágil e eficaz garante que a companhia possa aproveitar as melhores oportunidades de mercado em cada momento, acompanhando as flutuações de preço do açúcar e etanol e janelas de oportunidade econômicas de forma a trazer a maior geração de caixa possível”, explica Blanchard.

Para continuar aproveitando os incentivos do mercado de forma eficiente na safra atual, uma série de investimentos foi realizada no período da entressafra, incluindo a instalação de maquinários que permitem maximizar a eficiência operacional. Por exemplo, as unidades no município de Rio Brilhante (MS) tiveram capacidade de moagem somada ampliada em 3.000 toneladas/dia. Além disso, um novo aparelho de destilação instalado permite uma produção adicional de 250 metros cúbicos/dia de etanol. Outro ganho foi o aumento da capacidade de estoque de melaço, que pode ser convertido em etanol em momentos oportunos, flexibilizando o mix de produção conforme estratégia da companhia.

Já no Sudeste, a unidade Vale do Rosário (em Morro Agudo, SP) ganhou mais uma coluna na destilaria, que elevou a capacidade de produção de etanol anidro em 240 metros cúbicos/dia. A unidade Santa Elisa (Sertãozinho, SP) também recebeu um aparelho novo em sua destilaria, com capacidade para produção de 600 metros cúbicos/dia de etanol.

 

 


Fonte: Assessoria de Comunicação