Clipping

Biosev recebe certificação do RenovaBio para quatro usinas

Postado em 6 de Março de 2020

Santa Elisa (SP), Leme (SP), Rio Brilhante (MS) e Vale do Rosário (SP) receberam sinal verde para emissão de CBios

A Biosev acaba de receber a certificação da ANP para a inclusão de quatro usinas da companhia no RenovaBio, Política Nacional de Biocombustíveis, aprovada pelo Governo Federal em dezembro de 2019. Entre os objetivos da política estão a valorização e estímulo de produtividade dos biocombustíveis nacionais como o etanol.  

Com a certificação para as unidades Santa Elisa (SP), Leme (SP), Rio Brilhante (MS) e Vale do Rosário (SP), a Biosev já está apta a ingressar no mercado de CBios, certificado de redução de gases de efeito estufa usado como instrumento financeiro a ser negociado na bolsa de valores. A expectativa é que as distribuidoras de combustível, que têm metas de descarbonização, sejam as empresas com maior interesse na comercialização destes papeis. 

De acordo com Dorothea Soule, diretora Comercial e de Originação da Biosev, a companhia está otimista. “Estamos com uma expectativa positiva sobre o programa como um todo, temos muito potencial de produção de créditos de carbono, os CBios, que vai entrar em sinergia com o nosso mix de produtos para o mercado”, explica.

Os trabalhos em todas as etapas da certificação foram conduzidos pela área de Qualidade Corporativa da Biosev, que contou com o apoio do Planejamento Agrícola, Georreferenciamento e os times da Operação e Comercial. As fases incluíram a consulta das evidências da calculadora de pegadas de carbono da companhia e visita in loco da certificadora Green Domus, que enviou todos os dados para análise da ANP.

As outras quatro usinas da Biosev, MB (SP), Continental (SP), Lagoa da Prata (MG) e Passa Tempo (MS) estão na reta final de certificação para o programa e também fazem parte da capacidade produtiva da companhia para este novo mercado. Até o momento, estão certificadas 31 usinas de etanol combustível de primeira geração pelo RenovaBio.

 


Fonte: Agrolink com inf. de assessoria