Clipping

Boa safra e concorrência baixaram preços, diz Recap

Na avaliação do vice-presidente do Recap (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas e Região), Edmílson Martins, dois fatores contribuíram para a queda nos preços do litro do etanol na região: a boa safra da cana-de-açúcar e o crescimento da concorrência entre os donos de postos de combustíveis.
"A boa safra é com certeza o que mais leva para baixo o preço. A cana é um produto agrícola e esse ano o clima ajudou muito, com muitas chuvas, totalmente ao contrário do ano passado, quando sofremos longas secas. Quanto mais etanol no mercado, mais ele precisa ser 'desovado', o que faz com que o preço fique lá embaixo. Aí o motorista do carro flex já migra da gasolina para o etanol, provocando o segundo fator, que é a concorrência", explica Martins.
Segundo ele, a concorrência acirrada leva a uma "corrida" entre os proprietários de postos de combustíveis para tentar atrair mais clientes através dos baixos preços. "Aí entra algumas ilegalidades, como a compra direto da usina, sem passar pela distribuidora, o que faz com que alguns tributos não sejam contabilizados. Com menos impostos, menor o preço que ele (dono de posto) pode colocar", enumera o diretor sindical.
Ainda segundo Martins, ao ver um preço menor que o seu, o dono de posto pode tentar diminuir sua margem de lucro para tentar atrair o cliente "alheio". "E essa tendência de queda nos preços deve continuar. Só não ocorrerá no caso de um desastre, como uns 15 dias de chuvas sem parar, o que faria parar a colheita da cana", estimou.
VENDAS DOBRAM
A prática da redução dos preços foi adotada pelo proprietário de um posto na Avenida São Jerônimo, no Jardim Bela Vista, em Americana. "Abriu um posto aqui perto oferecendo etanol por R$ 1,99. Abaixamos para ficar igual", comentou o frentista Fábio Mendes, 43. Segundo ele, a venda de etanol no estabelecimento dobrou após a diminuição do preço. "Antes da queda, a média era de 7 mil litros de dia. Depois, ela passou para 14 mil", revelou.

Fonte: Jornal Todo Dia