Clipping

BP Biocombustíveis teve prejuízo de R$ 321 milhões em 2018

Postado em 14 de Novembro de 2019

Em 2018, quando ainda era apenas uma subsidiária da petroleira britânica BP, a BP Biocombustíveis registrou um prejuízo líquido de R$ 321,1 milhões. Apesar do resultado negativo, a perda foi 43% menor que a do ano anterior (R$ 559,3 milhões), de acordo com balanço divulgado hoje no "Diário Oficial de São Paulo". Em julho, a BP Biocombustíveis uniu forças com a Bunge para criar uma nova companhia sucroalcooleira, que aguarda aprovações de autoridades antitruste de outros países.

“Tais perdas foram geradas substancialmente pelos baixos preços de combustíveis no mercado local e do açúcar no mercado internacional,combinados com baixa eficiência operacional, especialmente no que tange aos custos com corte, colheita e transporte de cana-de-açúcar”, afirmou a companhia nas notas explicativas da publicação.

A receita líquida da BP Biocombustíveis no ano passado cresceu 13%, para R$ 1,851 bilhão. O aumento foi concentrado nas vendas para o mercado interno, que cresceram 25%, para R$ 1,769 bilhão.

Porém, o custo dos produtos vendidos continuou superando o faturamento, apesar da queda ante o ano anterior, o que resultou em prejuízo bruto de R$ 124,5 milhões. Em 2017, o prejuízo bruto fora ainda maior, de R$ 378,1 milhões.

O principal item de custos da BP é com a compra de matéria-prima, que somou R$ 726,1 milhões — leve queda de 2%. Os custos com as operações de corte, carregamento e transporte, por sua vez, aumentaram 3%, para R$ 311,8 milhões.

Diante das dificuldades operacionais, a BP voltou a socorrer sua divisão sucroalcooleira no Brasil. Ainda em fevereiro, a britânica decidiu aportar R$ 320 milhões na BP Biocombustíveis, concluindo até o fim do ano uma injeção de R$ 319,6 milhões. A BP Biocombustíveis ainda recebeu mais R$ 178,5 milhões, registrados como transação com partes relacionadas. Os dois aportes colaboraram para que a companhia encerrasse o ano com um caixa maior do que em 2017, de R$ 808,9 milhões, um aumento de R$ 368,1 milhões ante o ano anterior.

Para 2019, a BP Biocombustíveis com compromissos para vender neste ano 190 mil toneladas de açúcar bruto (VHP), 36,5 mil toneladas de açúcar cristal e 106,97 milhões de litros de etanol, além de contratos pra a entrega de 1,8 mil gigawatt-hora (GWh) pelos próximos quatro anos.

 


Fonte: Valor Econômico