Clipping

Brasil bate recorde de produção, consumo e venda de etanol em 2018/2019

O Brasil bateu recordes de produção, consumo e venda de etanol na safra 2018/2019, encerrada em março, mostram dados consolidados pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) divulgados nesta quinta, 2. A oferta do biocombustível foi de 33,10 bilhões de litros - 9,91 bilhões de litros de anidro e 23,18 bilhões de litros de hidratado - pouco mais de 10% a mais que o recorde anterior, de 30 bilhões de litros, da safra 2015/2016, e alta de 19% sobre os 27,8 bilhões de litros de 2017/2018.

Com os preços pouco remuneradores do açúcar, o setor deixou de produzir quase 10 milhões de toneladas e de exportar 8 milhões de toneladas do adoçante em relação ao ciclo 2017/2018. Com isso, 64,3% da cana processada foi destinada ao etanol e o volume comercializado pelas usinas e destilarias brasileiras somou 30,61 bilhões de litros, alta de 20,44% sobre o apurado em 2017/2018, de 25,42 bilhões de litros.

As vendas de etanol hidratado das unidades produtoras atingiram 21,43 bilhões de litros, alta de 39,7% quando comparadas às do ciclo agrícola anterior. A comercialização de etanol anidro, utilizado na mistura à gasolina, diminuiu 8,88%, para 9,18 bilhões de litros em 2018/2019. As vendas de etanol para o mercado industrial permaneceram estáveis entre as safras, em 920 milhões de litros.

Na safra 2018/2019, dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilados pela Unica indicam que o consumo de etanol hidratado foi de 20,73 bilhões de litros, 39,40% a mais sobre 2017/2018, ou 5,86 bilhões de litros adicionais consumidos no Brasil. Foram consumidos 10,1 bilhões de litros de etanol anidro, o aditivo da gasolina, totalizando 30,83 bilhões de litros de etanol.

 A participação do biocombustível na matriz de combustíveis leves (ciclo Otto) foi de 47,41%, o maior já observado desde a safra 2008/2009, de 46,13%."O uso do etanol na safra 2018/19, garantiu uma economia de US$ 5,2 bilhões ao País evitando a importação de 10,5 bilhões de litros de gasolina que seriam necessários para garantia do abastecimento interno", informou Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica.

 


Fonte: Globo Rural