Clipping

Brasil reforça na COP 25 que tem a matriz energética mais limpa entre os grandes consumidores globais

Postado em 9 de Dezembro de 2019

A Conferência Internacional sobre Mudança Climática acontece em Madri, Espanha, de 2 a 13 de dezembro, reúne representantes de 200 países, totalizando quase 29 mil pessoas

O Brasil está presente COP 25 - Conferência Internacional do Clima – realizada pela Organizações das Nações Unidas (ONU). A meta principal da COP 25 é que os países intensifiquem medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

E este é um ponto forte da área ambiental brasileira. Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), o Brasil tem a matriz energética mais limpa entre os grandes consumidores globais, com a maior participação de energias renováveis.

Pouco mais de 45% da energia produzida no país é renovável. Para se ter uma ideia, esse percentual representa mais que o triplo da média mundial. E a cana-de-açúcar é a principal fonte de energia sustentável do Brasil, responsável por 17,4% da matriz energética nacional.

Em 16 anos, o uso de etanol puro nos tanques dos carros dos brasileiros, mais a mistura obrigatória de 27% do biocombustível à gasolina, transformou o céu do país. Nesse período, 535 milhões de toneladas de CO2 deixaram de emitidos. Esse valor representa as emissões anuais de CO2 da Polônia, ou ainda, equivalente à soma das emissões totais de Argentina, Peru, Equador, Uruguai e Paraguai.

No final de novembro, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) lançou a versão 2019 do Relatório sobre a Lacuna de Emissões (Emissions Gap – Report 2019), que aponta que o Brasil progrediu no setor de energia. De acordo com o documento, o entre 2015 e setembro de 2019, o mercado favoreceu as energias renováveis.

O Relatório destaca também que a produção de etanol no Brasil, com o lançamento da nova Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), será ampliada e, com isso “o país provavelmente atenderá às metas mencionadas na NDC brasileira para o setor de transportes”, diz trecho do documento.

 


Fonte: CanaOnline