Clipping

Bunge anuncia mudança em relatório fiscal

Postado em 28 de Abril de 2021

A americana Bunge, uma das maiores empresas de agronegócios do mundo, informou que mudou a estrutura de seu relatório financeiro para alinhá-lo com a nova estratégia da empresa.

A partir do primeiro trimestre de 2021, a Bunge reportará os resultados de seu core business divididos da seguinte forma: Agronegócio, que incluirá processamento e as operações de trading; Óleos Refinados e Especiais; e Moagem. A Bunge também continuará reportando os resultados corporativos e os resultados do Segmento Não Essencial, que representam basicamente a divisão de açúcar e bioenergia.

Nessa mudança, deixam de fazer parte da divulgação os dados sobre fertilizantes, cujos resultados agora estão incluídos na área de processamento do segmento de Agronegócio. E as operações de grãos e sementes oleaginosas passam a fazer parte da divisão de processamento e trading, também na divisão Agronegócio.

“As mudanças nos relatórios refletem uma mudança correspondente na forma como o CEO da empresa (seu principal tomador de decisões operacionais) analisa as informações financeiras a fim de alocar recursos e avaliar o desempenho”, diz a Bunge, em nota.

A companhia também afirma que certos valores do ano anterior foram reformulados para estarem em conformidade com a nova estrutura de relatório do segmento. Entretanto, essas mudanças não têm impacto sobre os balanços patrimoniais consolidados.

No quarto trimestre do ano passado, a Bunge registrou lucro líquido de US$ 551 milhões, ante prejuízo de US$ 51 milhões no mesmo período de 2019. O resultado líquido anual da companhia, por sua vez, passou de um prejuízo de US$ 1,28 bilhão em 2019, para um lucro de US$ 1,15 bilhão no ano passado.

O resultado trimestral antes de juros e impostos (Ebit) ficou em US$ 714 milhões, ante US$ 44 milhões um ano antes. O que a Bunge chama de "core Ebit ajustado" - o lucro operacional de suas principais atividades - somou US$ 637 milhões no quarto trimestre, com alta anual de 36,4%.

No ano, o Ebit ficou em US$ 1,63 bilhão, ante resultado negativo de US$ 891 milhões um ano antes.

A receita da empresa somou US$ 12,61 bilhões no quarto trimestre, abaixo dos US$ 10,78 bilhões do quarto trimestre de 2019. No ano, a receita ficou em US$ 41,4 bilhões, bastante próxima dos US$ 41,1 bilhões registados em 2019.


Fonte: Valor Econômico