Clipping

Bunge e BP estão negociando criação de joint venture de açúcar e etanol no Brasil

Postado em 11 de Julho de 2019

Bunge contratou o Itaú como consultor, dizem fontes; parceria pode triplicar a capacidade de esmagamento de cana da BP

A gigante norte-americana de agronegócios Bunge está negociando com a petrolífera britânica BP para formar uma joint venture de açúcar e etanol no Brasil, segundo pessoas a par do assunto.

De acordo com as fontes consultadas, as empresas estariam em negociação para combinar as operações no país, um dos maiores produtores de cana-de-açúcar e etanol do mundo. As pessoas pediram para não serem identificadas porque a informação é privada.

Assim, Bunge e BP estariam atualmente avaliando seus ativos de açúcar e etanol para chegar a um acordo sobre o tamanho da participação de cada empresa. A Bunge, inclusive, teria contratado o banco brasileiro Itaú Unibanco Holding SA como consultor, disseram as pessoas.

Até o momento, as companhias ainda não chegaram a uma decisão final, sendo que as negociações podem não produzir um acordo.

Porta-vozes da Bunge e da BP não quiseram comentar o assunto.

Motivações da parceria
Unir forças com a Bunge pode triplicaria a capacidade de moagem de cana-de-açúcar da BP no Brasil. Além disso, a criação de uma joint venture permitiria que a Bunge, sediada nos Estados Unidos, separasse uma empresa em dificuldades – uma estratégia semelhante à adotada pela Shell e pela Cosan, que criaram a Raízen em 2010.

Nos últimos anos, as companhias de açúcar têm lutado para ganhar dinheiro, pois as safras recordes da Tailândia e da Índia pressionaram os preços da commodity e reduziram a volatilidade.

A Bunge, que vendeu seus negócios de comércio de açúcar para a trading Wilmar International, sediada em Cingapura, vinha explorando opções para seus negócios de moagem no Brasil. No ano passado, a empresa afirmou que atrasaria uma oferta pública inicial da unidade devido às condições do mercado.

A BP começou a produzir etanol no Brasil em 2008 e suas três usinas atualmente têm capacidade para moer 10 milhões de toneladas de cana por ano. A Bunge possui oito usinas com capacidade para processar 22 milhões de toneladas.

Por Fabiana Batista, Isis Almeida e Vinicius Andrade
Com tradução e adaptação novaCana.com

 

 


Fonte: Bloomberg / novaCana.com