Clipping

Cada vez mais açúcar europeu na praça

Quatro meses depois de ter suprimido seu regime de cotas de produção de açúcar e garantia de preços ao produtor, a União Europeia (UE) já prevê que vai importar menos e exportar bem mais a commodity do que sinalizavam suas estimativas iniciais.

Desde outubro, a produção de 109 companhias açucareiras europeias não é mais limitada por Bruxelas e a exportação de cada uma não precisa ficar restrita a 1,374 milhão de toneladas por safra.

Documento submetido ontem ao comitê de ministros de Agricultura da UE mostra que a expectativa é que a produção europeia de açúcar alcance 20,5 milhões de toneladas em 2018, ante 16,8 milhões no ano passado.

Estima que as importações de açúcar do bloco vão cair significativamente, talvez mais do que as 1,5 milhão de toneladas calculadas previamente para 2017/18 – o volume de queda projetado agora é de 1,8 milhão de toneladas Com o fim do sistema de cotas e o preço europeu mais alinhado ao do mercado mundial, a Europa parece menos atrativa para paises exportadores, diz a UE.

As exportações, por sua vez, deverão aumentar bastante. Estimativas preliminares apontam para 2,8 milhões de toneladas, ante 1,5 milhão de toneladas em anos anteriores. Segundo a UE, 1 milhão de toneladas já foram exportadas desde outubro, quando o novo regime do açucar foi introduzido.

O preço da tonelada de açucar na Europa era € 409 em novembro, € 81 menos que em setembro. Mas, para a UE, essa queda já era esperada.

Por Assis Moreira 


Fonte: Valor Econômico