Clipping

Câmbio prejudica resultados agrícolas da Basf

Hans-Ulrich Engel, diretor da Basf: empresas adquiridas também pesaram

A divisão "soluções agrícolas" da alemã Basf gerou receita de € 1,7 bilhão no quarto trimestre de 2018, 26,8% mais que entre outubro e dezembro de 2017. O braço representou 10,8% da receita total da multinacional no período.

Nos três últimos meses de 2018, a divisão apresentou prejuízo antes de juros e imposto de renda (Ebit) operacional de € 46 milhões. No mesmo período de 2017, o Ebit foi positivo em € 194 milhões. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou € 104 milhões, uma queda de 60,9%.

Em todo o ano passado, a área agrícola da múlti alemã gerou receita de € 6,2 bilhões, alta de 8% em relação a 2017. O Ebitda foi de € 985 milhões, queda de 23,2%, e o Ebit somou € 591 milhões, baixa de 41,8%. De acordo com o diretor financeiro da Basf, Hans-Ulrich Engel, a divisão sofreu efeitos cambiais negativos em todas as regiões em 2018.

"Além disso, houve uma contribuição fortemente negativa das empresas adquiridas da Bayer, que só assumimos em agosto. Foi uma desvantagem para nós devido à sazonalidade do negócio de sementes, que gera renda principalmente no primeiro semestre do ano. Além disso, havia custos de integração das atividades adquiridas", disse em teleconferência com analistas.

Neste ano, contudo, os ativos da Bayer devem contribuir positivamente. "Os resultados [da Bayer] de janeiro foram muito melhores do que o que esperávamos, mas, como sabemos, nesse segmento você não pode fazer julgamentos com base em um único mês, nem mesmo em um único trimestre", disse Engel.

Ainda de acordo com o executivo, os preços dos produtos da divisão subiram, em média, 2% em 2018. Mas houve pressão adicional de custos em decorrência de aumento de matérias-primas para a produção de agrotóxicos na China, principal fornecedor mundial de ingredientes ativos para a indústria química.

Para 2019, a Basf planeja investir cerca de € 900 milhões em pesquisa e desenvolvimento na área de soluções agrícolas. O montante representa um aumento de 32,5% ante os € 679 milhões investidos em 2018 – 11% das vendas do segmento no ano passado.

Em comunicado, a companhia alemã divulgou que lançará cerca de 30 produtos agrícolas até 2028. O portfólio expandido tem potencial de vendas de aproximadamente € 6 bilhões, segundo nota da companhia. Os produtos a serem lançados estão divididos em químicos e biológicos de proteção de culturas, sementes e tratamento para sementes, bem como soluções digitais.

Por Kauanna Navarro

 

 

 

 


Fonte: Valor Econômico