Clipping

Centro-Sul registra recorde de vendas de etanol hidratado em janeiro

 

O volume de etanol hidratado comercializado no mercado interno pelas unidades produtoras do Centro-Sul somou 960,79 milhões de litros na segunda quinzena de janeiro de 2019. Trata-se de um crescimento de 32,34% em relação à quantidade observada no mesmo período do ano anterior (725,99 milhões de litros).

No total de janeiro, as vendas de hidratado atingiram 1,83 bilhão de litros, maior valor já registrado para o primeiro mês do ano, com alta de 32,45% na comparação com janeiro de 2018 (1,38 bilhão de litros). No mercado nacional, o volume de hidratado vendido pelos produtores supera 2 bilhões de litros, visto que a região Norte-Nordeste registrou a comercialização de 185,55 milhões de litros no mês.

“Para o mercado brasileiro, esse volume vendido é surpreendente se considerarmos que ele supera em 2,16% o montante comercializado em dezembro e, mais importante, que em janeiro historicamente se registra queda média de 13% no consumo total de combustíveis leves”, explicou o diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues.

Os números reforçam a tendência apontada pelos dados publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que indicaram recorde de consumo de etanol hidratado no Brasil em 2018, com 19,38 bilhões de litros comercializados no mercado interno. O volume vendido no País no último ano aumentou 42,1% em relação a 2017, com crescimento próximo a 6 bilhões de litros.

De acordo com Rodrigues, “o mercado de etanol hidratado aquecido durante a safra refletiu a alta competitividade do renovável frente a gasolina na maior parte do mercado consumidor, inclusive nas localidades onde a relação de preços entre eles usualmente não era favorável ao biocombustível”.

Com efeito, a paridade (relação de preços de bomba entre etanol hidratado e gasolina) média observada no Brasil atingiu 66% em 2018. Como consequência, a participação total do etanol (hidratado e anidro) na matriz de combustíveis leves (Ciclo Otto) saltou, em termos energéticos, para 46,1% - a maior registrada no mercado nacional desde 2009.

Segundo dados apurados e publicados pela ANP, esse cenário de preços atrativos se manteve em janeiro e nos primeiros quinze dias de fevereiro deste ano. “Essa condição oferece boas perspectivas de vendas do biocombustível durante os próximos meses de entressafra”, acrescentou Rodrigues.

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, verificou-se queda de 9,1% no preço líquido da gasolina na refinaria e de 12,5% no preço praticado pelos produtores na comparação entre janeiro de 2019 e o mesmo mês em 2018. Apesar desse movimento, o preço de bomba da gasolina no mesmo período registrou incremento de 1,5% e o valor pago pelo hidratado caiu 8,1% aos consumidores.

“O preço do hidratado mais vantajoso decorre da maior oferta do biocombustível nessa entressafra, com benefícios econômicos e ambientais ao consumidor paulista”, concluiu o executivo da UNICA.

No caso do etanol anidro, as vendas domésticas alcançaram 370 milhões de litros nos últimos quinze dias de janeiro, indicando recuperação de 13,68% em relação à primeira quinzena do mês. No acumulado mensal, o volume comercializado em janeiro totalizou 695,48 milhões de litros, aquém dos 764,81 milhões de litros verificados no mesmo período de 2018.

Entre abril de 2018 a 1º de janeiro de 2019, as vendas de etanol pelo Centro-Sul somaram 25,69 bilhões de litros – 18,06 bilhões de litros de etanol hidratado e 7,63 bilhões de litros de etanol anidro.  Deste total, 1,39 bilhão de litros foram para exportação e 24,29 bilhões ao mercado interno. As vendas domésticas de hidratado atingiram 17,49 bilhões de litros na safra 2018/2019, crescimento de 35,10% sobre o último ciclo agrícola.

Moagem de cana-de-açúcar

A quantidade de cana processada pelas usinas e destilarias do Centro-Sul totalizou 563,42 mil toneladas nos últimos 15 dias de janeiro de 2019. No acumulado desde o início da atual safra 2018/2019, a moagem somou 563,29 milhões de toneladas, permanecendo abaixo do resultado apurado até a mesma data do ciclo 2017/2018 (583,83 milhões de toneladas).

Levantamento atualizado pela UNICA indica que 4 unidades processadoras de cana e 8 de milho permanecem em operação no Centro-Sul.

Produção de açúcar e etanol

No agregado da safra 2018/2019 até 1º de fevereiro de 2019, a produção de açúcar atingiu 26,36 milhões de toneladas, ante 35,83 milhões de toneladas no mesmo período de 2018.

No caso do etanol, a produção acumulada alcançou 30,29 bilhões de litros, dos quais 9,18 bilhões foram de anidro e 21,10 bilhões de hidratado. Este último representa um crescimento de 43,33% quando comparado ao volume acumulado na safra 2017/2018 (14,72 bilhões de litros).

A produção de etanol produzido a partir do milho totalizou 50,80 milhões litros na segunda metade de janeiro. No acumulado do mês, foram fabricados 614,48 milhões de litros, incremento de 56,82% na comparação com o volume verificado no mesmo período da safra 2017/2018 (391,85 milhões).

O realtório completo da safra está disponível no UnicaData

 

 


Fonte: UNICA