Clipping

Chuva faz moagem recuar 26,13%

A moagem de cana-de-açúcar no Centro-Sul do País recuou 26,13% na primeira quinzena de agosto, para 33,56 milhões de toneladas devido a chuvas intensas que reduziram o ritmo de colheita.
O resultado é 26,13% inferior às 45,44 milhões de toneladas processadas no mesmo período na safra 2017/2018, segundo levantamento da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) divulgado na última sexta-feira (24). A interrupção no processamento de cana variou entre um até nove dias, de acordo com a região.

Em nota, o diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Antonio de Padua Rodrigues, estimou que, até o final de agosto, a redução acumulada de moagem poderá alcançar 16 milhões de toneladas de cana.

A retração, aliada a um mix mais alcooleiro, fez com que a produção de açúcar recusasse 45,90% na quinzena, para 1,71 milhão de toneladas. No acumulado desde o início da safra até 16 de agosto, a produção de açúcar atingiu 16,48 milhões de toneladas.

Segundo a Unica, apenas 36,37% da matéria-prima foi destinada à fabricação de açúcar, ante 48,69% registrados até a mesma data de 2017. “Caso não tivesse ocorrido mudança no mix das usinas, a produção acumulada de açúcar já teria superado 21 milhões de toneladas”, diz Padua.

EtanolNo período, a produção de etanol apresentou alta de 1,10% e alcançou 1,98 bilhão de litros, ante 1,95 bilhão na mesma quinzena de 2017. O volume acumulado de etanol alcançou 18,05 bilhões de litros até 16 de agosto deste ano.

Na primeira quinzena deste mês, a produção de etanol de milho foi de 24,37 milhões de litros. No acumulado até 16 de agosto deste ano, foram fabricados 235,03 milhões do combustível, avanço de 134% em relação ao produzido em igual período do ano passado.

O volume total de etanol comercializado somou 1,34 bilhão de litros nos primeiros quinze dias de agosto, crescimento de 20,32% em relação a mesma quinzena do ano anterior (1,12 bilhão de litros).

 

Por Marcela Caetano


Fonte: DCI