Clipping

Chuvas atrasam e provocam corrida para o plantio de grãos nas áreas de renovação de canaviais

Cronograma de plantio nas áreas de renovação de canaviais é levado muito a sério pelas unidades sucroenergéticas. Uma vez que, o atraso na colheita da cultura escolhida para cobrir o solo durante a janela de implantação do novo canavial (normalmente de setembro a fevereiro) pode tirar o plantio da cana do período de chuvas, prejudicando a brotação.
 
A situação chega a provocar um certo estresse na equipe de plantio e até mesmo algum desconforto entre usinas e fornecedores de cana, principalmente com aqueles que plantam amendoim nas áreas de renovação.
 
Com o estreitamento da janela de plantio, as usinas podem optar por plantar soja, que se colhe em torno de 110 dias, realizar adubação verde com crotalária, que leva em torno de 90 dias, ao invés de plantarem amendoim, que dependendo da variedade, a colheita será de 130 a 150 dias após o plantio.
 
Ainda há aquelas unidades sucroenergéticas que preferem não arriscar em perder a época ideal para o plantio da cana e, optam por não realizar rotação de cultura.
 
Mas, muitas usinas se esforçam para realizar esta prática em decorrência de seus benefícios: a alternância entre leguminosas e gramíneas é altamente recomendável para repor as condições de fertilidade do solo; ajuda aquebrar o ciclo de pragas e doenças de cada cultura; promove a fixação de nitrogênio e a incorporação de matéria orgânica, o que reduz a aplicação de fertilizantes nos plantios futuros, o que significa redução de custos; além de gerar renda extra, no caso de amendoim e soja.
 
Por isso, com a chegada atrasada das chuvas nesta primavera de 2017 é grande a corrida para o plantio dos grãos nas áreas de canaviais, na região de Ribeirão Preto, SP, em relação ao mesmo período do ano passado, apenas 10% da área já está plantada.
 


Fonte: CanaOnline