Clipping

CMAA realiza investimentos milionários em expansão

Parte do resultado esperado para a safra 2018/19 vem dos investimentos que estão sendo realizados pela Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA). A empresa adquiriu, no fim do ano passado, a Usina Trialcool, em Canápolis, também no Triângulo, sob investimentos de R$ 134 milhões e ainda vai realizar outros R$ 120 milhões até 2020 para reativar a produção da unidade. Somente neste exercício, serão aportados R$ 18 milhões pelo grupo na usina rebatizada por Usina Canápolis.

A informação é do presidente da companhia, Carlos Eduardo Turchetto Santos.
Conforme ele, somente neste exercício, a empresa, que é composta também pelas Usinas Vale do Tijuco, em Uberaba, e Vale do Pontal, em Limeira do Oeste, vai moer 6 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Este volume será proveniente das usinas mais antigas, uma vez que a Canápolis entrará em operação somente daqui a dois anos.
“Com a nova usina, nossa capacidade chegará a 8,5 milhões de toneladas. Desse total, a Vale do Tijuco conta com capacidade para 4 milhões e a Pontal, para 2,5 milhões. Nesta safra, a primeira vai produzir no limite e a segunda vai moer em torno de 2 milhões”, detalhou.

Ainda conforme Santos, a usina do Tijuco vai destinar toda a cana para a produção de etanol, enquanto a Vale do Pontal vai dividir em 60% para a produção do combustível e 40% para açúcar. Ele explicou que a diferença ocorrerá pelo fato de uma já está operando no limite da capacidade e a outra não. “Na Tijuco, a flexibilização é mais fácil”, justificou.

O que as usinas têm em comum, segundo o executivo, é a utilização de tecnologia mecanizada de ponta. Conforme ele, isso é de extrema importância para o desempenho dos negócios e o crescimento da empresa, que hoje ocupa o quarto lugar no ranking do Estado, tendendo ao terceiro em breve. “O setor sucroalcooleiro não existe mais sem a colheita mecânica. É ela que nos permite o aumento da produtividade e da qualidade dos empregos”, ressaltou.

Produtividade em alta- Nesse sentido, o executivo destacou que a produtividade da CMAA vem crescendo a cada ano. Em 2018, a empresa atingirá a média de 90 mil toneladas de cana-de-açúcar por hectare, número superior às médias das usinas de Minas e de São Paulo, que giram em torno de 75 mil toneladas/ha. “Isto está virando uma referência em Minas Gerais. As unidades mineiras aliam alta produtividade com investimentos em tecnologia e ganho de competitividade, gerando mais resultados, maiores lucros e mais empregos”, concluiu.

Além do presidente da Siamig, o lançamento da safra 2018/19 de cana-de-açúcar contou com a presença da diretoria da CMAA e seu fundador e presidente do Conselho de Administração, José Francisco de Fátima Santis. Além disso, estiveram presentes o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, o prefeito de Uberaba, Paulo Piau, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Adalclever Lopes, o senador Antonio Anastasia, entre outras autoridades locais e mineiras.


Fonte: Diário do Comércio