Clipping

Com um mix extremamente alcooleiro, Brasil tira 10 milhões de toneladas de açúcar do mercado

Elevada produção mundial derrubou preços do produto. Expectativa para o próximo ciclo é de maior equilíbrio nessa balança

A alta na produção mundial destruiu o preço do açúcar no mercado livre. Com a Ásia “vomitando” milhões e milhões de toneladas do produto, não sobrou ao Brasil outra alternativa senão buscar resiliência no etanol, que vive um momento de alta na remuneração devido a depreciação do real e recuperação dos preços do petróleo.

O resultado foi uma mudança brusca de mix na safra 2018/19. Segundo dados da consultoria Canaplan, 64% da produção de cana-de-açúcar está sendo destinada a fabricação do biocombustível, que deverá chegar ao patamar de 29 bilhões de litros ao final desse ciclo, contra 26,09 bi/l do anterior. Por conseguinte, 10 milhões de toneladas de açúcar serão tiradas do mercado, já que a produção deve fechar em 26,4 mi/ton.

O diretor da Bioagência, Tarcilo Rodrigues, prevê uma mudança no cenário para o próximo ano. Segundo ele, nos últimos 25 dias, o açúcar mudou de patamar. Estava operando na faixa de 10,50 cents por libra-peso e, nesta semana, já opera acima de 14 cents/lb. “Como o etanol também segue com preços bons, acredito que o desenho para a próxima safra será de maior equilíbrio. Com ambos os mercados num crescente, cada unidade deverá ajustar seu mix para o produto que estiver sendo mais viável do ponto de vista técnico.”

Veja grátis mais informações na CanaOnline, a maior plataforma digital de notíciasdo setor sucroenergético. Entre no site www.canaonline.com.br, siga-nos no Facebook, Instagram, Linkedin, Twitter, GPlus. Baixe grátis o APP da CanaOnline e carregue as edições no celular.


Fonte: CanaOnline