Clipping

Combustíveis sobem até 5 vezes mais que a inflação nos postos

Em doze meses, os preços dos combustíveis estão até cinco vezes mais caros que a própria inflação em Campo Grande.

De acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), neste mês, o etanol acumula alta de 11,83% quando comparado à média praticada em outubro do ano passado.

Para a gasolina, o aumento observado foi de 10,15%, enquanto o gás de cozinha teve elevação de 9,78%.
A menor majoração foi a do óleo diesel, de 4,33%, mesmo assim, ainda é o dobro da inflação acumulada no período de 12 meses, considerando o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Campo Grande (2,43%), aferido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes), da Uniderp. 

De acordo com o levantamento de preços da ANP, o etanol apresentou a maior alta entre os combustíveis veiculares, ficando 11,83% mais caro em 12 meses na Capital.

O preço do derivado de cana saiu de R$ 2,738 para R$ 3,062, ou R$ 0,32 a mais por litro. Com majoração de 10,15%, a gasolina passou de R$ 3,330 para R$ 3,668, acréscimo de R$ 0,33 por litro.

Ainda conforme os dados da ANP, mesmo acompanhando a alta do etanol, abastecer com gasolina ainda permanece mais vantajoso para o motorista na Capital. Isso porque a paridade entre os dois combustíveis está em 83,47% (um ano atrás, estava em 82,22%).

Só é considerado vantajoso optar pelo biocombustível quando este índice estiver igual ou inferior a 70%. Já o óleo diesel, que em outubro do ano passado custava R$ 3,234 nos postos campo-grandenses, ficou em média 4,33% mais caro, passando para R$ 3,374.


Fonte: Correio do Estado