Clipping

Combustível registra queda de 3,6% desde começo da pandemia

Postado em 15 de Maio de 2020

Nas bombas de Araraquara a gasolina e o etanol estão mais baratos, porém, o combustível ainda é mais caro do que o comercializado na região
Em tempos de isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus, o preço do combustível em Araraquara teve queda de 3,6%. A gasolina chegou ao preço médio de R$ 3,98, o litro e o etanol, R$ 2,68, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP). O preço é o menor praticado no último ano.

Essa queda no preço do combustível está relacionada à crise gerada pelo coronavírus e à queda no mercado internacional. "O barril de petróleo caiu neste período e a Petrobrás reduziu o preço da gasolina, o que consequentemente mexe também no preço do etanol", explica Miguel Fernando Aiello, diretor regional do Sindicato dos Distribuidores do Petróleo (Sincopetro).

Outro ponto crucial foi a lei de oferta e demanda. Aiello diz que em Araraquara os postos estão vendendo 50% a menos. "Estamos com metade das vendas, os postos trabalhando com jornada reduzida, fechando mais cedo, a redução foi grande", acrescenta.

REGIÃO
Apesar da redução, em comparação com cidades da região, Araraquara ainda tem o combustível mais caro.

Em São Carlos, por exemplo, o etanol está custando em média R$ 2,22, o litro e a gasolina R$ 3,65. Em Ribeirão Preto, o etanol também está R$ 2,22, o litro, já a gasolina R$ 3,63.

"É uma questão de mercado, apesar de serem cidades próximas são mercados diferentes e muitas distribuidoras cobram preços diferentes dependendo da região", explica Aiello.

FUTURO
Após quedas sucessivas, a expectativa é de que nos próximos dias haja um reajuste no preço da gasolina. Isso porque, a Petrobras anunciou aumento de 12% no preço médio do combustível nas refinarias.

O avanço ocorre após uma recuperação recente dos preços do barril do petróleo no mercado internacional, à medida que alguns países da Europa e da Ásia, assim como diversos estados norte-americanos, começaram a flexibilizar medidas de isolamento tomadas em função da pandemia do novo coronavírus.


Fonte: Jornal A CidadeOn