Clipping

Commodities: Clima seco no Brasil e petróleo puxam alta do açúcar em NY

Postado em 19 de Abril de 2021

As cotações do açúcar demerara encerraram a semana em alta na bolsa de Nova York, impulsionadas pelo clima seco nas áreas produtoras do Brasil e pela valorização do petróleo. Os contratos para julho subiram 1,59% (ou 26 pontos) nesta sexta-feira, a 16,57 centavos de dólar por libra-peso.

Na semana, a commodity valorizou-se 7,2%, em parte devido à alta dos preços do petróleo. A falta de chuvas nas áreas de produção do Brasil também tem mantido os investidores alertas, diz o Commerzbank.

Nos mercados de cacau e suco de laranja, as cotações tiveram variações mínimas nesta sexta-feira. Os papéis de cacau com vencimento em julho fecharam o pregão a US$ 2.464 a tonelada, alta de apenas 0,04% (US$ 1), mesma variação percentual dos contratos de suco de laranja para maio, que subiram 5 pontos, para US$ 1,1395 por libra-peso.

Na véspera, o analista Jack Scoville, da consultoria Price Futures Group, comentou que a possibilidade de aumento da demanda nos próximos meses segue no radar dos investidores do mercado de cacau, apesar de o processamento da amêndoa no primeiro trimestre ter sido fraco. Nesta semana, a Associação Europeia do Cacau (ECA) informou que a moagem de cacau na Europa somou 357,82 mil toneladas no primeiro trimestre, volume 3% menor que o do mesmo período de 2020.

Nas negociações do café arábica, após as altas recentes, os preços passaram por uma correção técnica nesta sexta-feira. Os contratos futuros para julho recuaram 2,59% (350 pontos), para US$ 1,312 por libra-peso.

Para o analista Guilherme Morya, do Rabobank, as incertezas sobre a oferta e a demanda de café arábica na temporada 2021/22, a alta disponibilidade do grão colhido na safra 2020/21 e o clima durante a nova safra no Brasil tendem a manter o mercado volátil nos próximos meses.

E, por fim, no mercado do algodão, ajustes de posições determinaram a queda dos preços. Os lotes com entrega para julho caíram 1,42% (123 pontos), para 85,03 centavos de dólar a libra-peso.

Nesta quinta-feira, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) informou que 26,6 mil toneladas de algodão foram negociadas na semana encerrada em 8 de abril, volume 55% menor que o da semana anterior e 54% mais baixo que a média móvel de quatro semanas. Para 2021/22, as negociações chegaram a 4,9 mil toneladas.

 


Fonte: Valor Econômico (16/04)