Clipping

Confinamento deve diminuir consumo de açúcar na Índia

Postado em 15 de Maio de 2020

A demanda por açúcar na Índia deve ficar abaixo do esperado, pois o fechamento de shoppings e restaurantes devido ao confinamento nacional reduziu o consumo de sobremesas, sorvetes e refrigerantes.

A demanda do país do sul da Ásia, o maior consumidor de açúcar do mundo, pode totalizar de 25 milhões a 25,5 milhões de toneladas no ano iniciado em 1º de outubro, em comparação com 26,5 milhões de toneladas esperadas anteriormente, disse Abinash Verma, diretor-geral da Indian Sugar Mills Association. O volume se compara aos 25,5 milhões de toneladas em 2018-19, disse.

A queda da demanda deve elevar ainda mais os estoques recordes e potencialmente reduzir os preços domésticos. Com isso, algumas usinas de açúcar podem aumentar as vendas internacionais na tentativa de reduzir custos de estoque.

As usinas de açúcar indianas tinham estoque de cerca de 14,6 milhões de toneladas em 1º de outubro, o suficiente para atender à demanda doméstica por mais de seis meses.

O consumo de açúcar aumentou cerca de 1 milhão de toneladas nos cinco meses encerrados em fevereiro, mas as vendas podem cair cerca de 1,5 milhão de toneladas em 2019-20, principalmente devido ao confinamento anunciado em março, que reduziu a demanda de fabricantes de biscoitos, doces, sorvetes e refrigerantes.

O uso industrial responde por até 65% do consumo total na Índia. Operadores locais podem comprar de 200 mil a 500 mil toneladas para reabastecer estoques, de acordo com Verma.

"As vendas de açúcar foram afetadas devido ao confinamento em todo o país", disse Verma em entrevista na quarta-feira. "Depois que o confinamento terminar, pode haver um salto da demanda de operadores para reabastecer estoques imediatamente."

As exportações deste ano podem passar de 5 milhões de toneladas até o fim de setembro, impulsionadas pela demanda de países como Irã e Indonésia, disse Verma. Em março, traders haviam estimado que menos de 5 milhões de toneladas seriam embarcadas.

O governo quer que as usinas vendam 6 milhões de toneladas no exterior com subsídios para reduzir as enormes reservas.

As usinas indianas já embarcaram 3,6 milhões de toneladas das cerca de 4,2 milhões de toneladas contratadas para exportação em 2019-20, disse Verma.

"A Indonésia continuará importando açúcar da Índia, pois a produção de açúcar em um dos principais fornecedores, a Tailândia, deve cair muito devido à seca", disse Verma. Irã e Indonésia têm oferecido preços mais altos em comparação com as taxas do mercado mundial, disse.


Fonte: Bloomberg