Clipping

Consultorias calculam defasagem de 7% a 13% nos preços da gasolina e do diesel da Petrobras

Postado em 20 de Janeiro de 2021

A partir desta terça (19), a Petrobras aumenta o preço médio do litro da gasolina vendida para distribuidoras em R$ 0,15, um aumento de 8% sobre a média vigente, de R$ 1,84, segundo informações da própria companhia. epbr

— Nos cálculos da Ativa Investimentos, a defasagem nos preços da gasolina indicava uma necessidade de aumento de 20% no curto prazo.

— “Após a atualização dos nossos modelos e a inclusão do reajuste autorizado hoje, avaliamos que a companhia tem outros 7% de alta a serem concedidos no curto prazo”, Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos.

Os preços do diesel permanecem inalterados desde 29 de dezembro. O CBIE calcula que a defasagem em relação aos preços praticados internacionalmente está entre 10% e 13%, publica Miriam Leitão, em O Globo.

— “Há risco de uma greve dos caminhoneiros no início do mês que vem, e parece que a estatal não quis ser responsabilizada por um evento que afetaria a economia e a popularidade do presidente Jair Bolsonaro”, escreve.

Os preços do petróleo tiveram leve queda nessa segunda (18), com a valorização do dólar e temores com o aumento dos casos de covid-19 no mundo e o ritmo lento de vacinação contra o coronavírus ofuscando uma recuperação trimestral acima do esperado na economia da China.

— O Brent fechou o dia em queda de US$ 0,35, ou 0,64%, a US$ 54,75 o barril. O WTI cedeu US$ 0,27, ou 0,52%, fechando o dia a US$ 52,09 o barril, em dia em que os mercados norte-americanos permaneceram fechados devido a um feriado local. G1, com Reuters

— Os preços da commodity abriram em alta nesta terça (19), com recuo do dólar, mas a Agência Internacional de Energia cortou novamente a previsão para a demanda global de petróleo este ano

— Estima que a demanda será de 96,64 milhões barris por dia, 300 mil a menos do que o previsto em dezembro. Na projeção, o consumo do primeiro trimestre será 600 mil barris por dia inferior em relação à estimativa anterior.

O reajuste do preço do GLP nas refinarias da Petrobras, de 6%, em média, em 7 de janeiro, chegou na semana passada aos consumidores residenciais. Dados da ANP mostram que o botijão de 13 kg estava sendo vendido entre 10 e 16 de janeiro a R$ 76,50, alta de 1,9% sobre a semana anterior, quando estava custando R$ 75,05, em média.

— Os valores do botijão variam de acordo com o local de venda. Na região Norte está o botijão de 13 kg mais caro do país, a R$ 84,66. No Sudeste, o preço está abaixo da média nacional, R$ 74,07; no Sul, sai a R$ 77,99; no Nordeste, a R$ 75,68; e no Centro-Oeste, a R$ 81,75.


Fonte: epbr