Clipping

Corte mecanizado aumenta produtividade dos canaviais na Usina Coruripe, em Alagoas

A unidade demorou para mecanizar a colheita, nesta safra o índice de mecanização deverá chegar a 40%

Enquanto que na região Centro-Sul a colheita mecanizada com cana crua é apontada como uma das causas da menor produtividade e longevidade dos canaviais, na usina Coruripe, localizada no município de Coruripe, Alagoas, esse processo tem elevado a produtividade dos canaviais.

Pedro Carnaúba, gerente agrícola da unidade, explica que, em Alagoas, o processo de mecanização foi bem mais amadurecido do que no estado de São Paulo, por exemplo.  “Tivemos tempo para preparar o campo para receber a mecanização. Irrigamos 86% dos 26 mil hectares que temos com cana e nas áreas de irrigação de alta performance, quando a cana era queimada, a média de produtividade era de 110 toneladas por hectare, com o corte mecanizado de cana crua subiu para 140 toneladas. Isso acontece porque a palha mantém a umidade do solo e oferece ganhos agronômicos.”

Diferentemente de muitas unidades no Nordeste que se encontram em áreas declivosas, principalmente as localizadas na Zona da Mata Sul Pernambucana e Zona da Mata Norte Alagoana, a usina Coruripe está localizada na região dos tabuleiros costeiros, no sul de Alagoas, com isso, a maioria de seus canaviais ocupa áreas planas, um verdadeiro tapete. Mas a Coruripe demorou para iniciar a mecanização da lavoura, nesta safra 40% do corte deverá ser de cana crua e feito por máquinas, na região Centro-Sul grande parte das unidades já estão próximas dos 100% de corte mecanizado com cana crua.

“Estudamos e preparamos nossos canaviais para receber a mecanização e, assim, sofrer menor impacto. Adotamos o espaçamento 0,50 m x 1,50 m, é duplo alternado, é mais largo que o espaçamento 1,50 m simples. As máquinas são com GPS, equipamentos modernos. Utilizamos o GPS desde o sulcamento até a colheita, com isso não tem pisoteio. E nossa produtividade com a mecanização está subindo. Nesta safra a usina deve chegar a 40% do corte mecanizado, temos uma média de colheita por máquina de 550 toneladas e devemos chegar na média de 750 toneladas por máquina. Para alcançar essa meta, contamos com softwares de alta performance, e trabalhamos para cada vez mais para chegar a uma gestão profissionalizada, com alta eficiência”, conta Carnaúba.

Em relação ao plantio da cana, Carnaúba disse que introduziram o plantio mecanizado, mas como não obtiveram bons resultados de brotação, além do excesso de mudas utilizadas, voltaram para o plantio manual e resolveram se preparar melhor e chegar a uma gestão alinhada para a obtenção de bons resultados também no plantio mecanizado de cana.


Fonte: CanaOnline