Clipping

Corteva conclui separação da DowDuPont e abre ações em Nova York

A Corteva completou sua separação da holding DowDuPont, tornando-se uma empresa 100% agrícola e líder global, com soluções para maximizar rendimento e lucratividade dos produtores.  A empresa concluiu a distribuição de suas ações ordinárias (ON) em 1º de junho, na qual cada acionista da DowDuPont recebeu 1 ação ordinária da Corteva para cada 3 ações ordinárias da DowDuPont detidas até o fechamento dos negócios em 24 de maio de 2019.

Os acionistas da DowDuPont que possuírem frações de ações da Corteva serão remunerados em dinheiro. As ações ordinárias da Corteva começaram a ser negociadas  na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) nesta segunda, dia 3, sob o novo símbolo “CTVA”, onde registrou preço inicial de US$ 26,50 por ação na abertura do pregão.

“Hoje lançamos um novo tipo de empresa agrícola, posicionada de forma única para competir e vencer, fornecendo aos agricultores a solução completa de que necessitam para crescer de maneira sustentável a longo prazo e com maior rentabilidade”, comenta Jim Collins, CEO da Corteva Agriscience.

“Como líder global de um mercado de US$ 100 bilhões que une proteção de cultivos e sementes, a Corteva Agriscience tem o portfólio mais robusto da indústria, mecanismos para estimular a inovação em nível global, diferentes canais de acesso ao mercado que nos proporcionam uma proximidade incomparável com o cliente. Tudo isso irá impulsionar nosso crescimento como uma empresa independente e gerar valor para os acionistas. Nossos mais de 21 mil funcionários estão comprometidos em cumprir nosso propósito de enriquecer as vidas daqueles que produzem e daqueles que consomem, garantindo o progresso para as próximas gerações”, completou.

Presente em mais de 140 países, a Corteva Agriscience possui mais de 150 centros de pesquisa e desenvolvimento e mais de 65 ingredientes ativos.

“Como uma empresa agrícola nova e independente, estamos fortemente focados em investir em inovação para aumentar a receita acima do mercado e melhorar o retorno sobre o capital investido”, explica Greg Friedman, Vice-Presidente Executivo e CFO da Corteva Agriscience.


Fonte: Agência Safras