Clipping

Corteva se une a empresa de engenharia genética para desenvolver defensivos biológicos

Postado em 5 de Abril de 2021

A Corteva, que atua nos segmentos de sementes e proteção de cultivos, fechou um acordo com a Ginkgo Bioworks para trabalhar com a empresa de biotecnologia no desenvolvimento de defensivos de base biológica. Em comunicado, a multinacional americana informou que a parceria permitirá criar tecnologias de proteção de lavouras a partir da biologia sintética

“Essa parceria combina o profundo conhecimento da Corteva sobre produtos naturais e a atividade agrícola com as amplas plataformas da Ginkgo de engenharia genética e codificação de DNA para explorar a próxima geração de soluções sustentáveis, inspiradas na natureza”, diz comunicado da Corteva, distribuído ontem. “Essa colaboração tem como objetivo oferecer aos agricultores novas soluções para combater a ação de pragas e também os desafios impostos pelo aumento da resistência delas [aos defensivos]”.

A Corteva era o braço de agroquímicos da DowDuPont até 2019, quando foi desmembrada para atuar como uma companhia independente. A empresa de biotecnologia Ginkgo Bioworks, por sua vez, foi criada em 2009 por cientistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Ela é conhecida por utilizar engenharia genética para produzir bactérias para uso industrial.

 


Fonte: Valor Econômico (02/04)