Clipping

Coruripe é reconhecida como mais engajado pelo Guia Exame de Sustentabilidade 2018

O Grupo Coruripe foi premiado nesta quinta-feira (22) pelo seu intenso trabalho na área de sustentabilidade. O Guia Exame de Sustentabilidade 2018, que elege a melhor empresa sustentável, dentre 19 setores, reconheceu a Coruripe como a mais engajada nesta questão, no segmento do agronegócio.

De acordo com o gerente de sustentabilidade do Grupo Coruripe, Bertholdino Apolonio Teixeira Junior, "a premiação reflete o trabalho do grupo como um todo, mas o projeto de soltura do Bicudo, pássaro ameaçado de extinção foi o que se destacou, dentre outros", afirma o executivo. Atualmente, a agroindústria investe, anualmente, cerca de 1 milhão de reais em ações sustentáveis.

Projeto Bicudo

De acordo com a Coruripe, o Bicudo (Sporophila maximiliani) é uma espécie bastante valiosa no mercado legal e ilegal de animais silvestres. A espécie sofreu uma pressão de captura na natureza tão grande a ponto de ser praticamente erradicada em quase toda sua área de distribuição no país. Atualmente a espécie é classificada como "Criticamente Ameaçada" de acordo com o Ministério de Meio Ambiente, sendo que em Minas Gerais é considerado um pássaro provavelmente extinto na natureza.

A equipe do Projeto Bicudo, após anos de estudo em diferentes linhas de pesquisa (genética, comportamento, reprodução, alimentação), de maneira pioneira, realiza o primeiro programa de reintrodução do Bicudo no estado de Minas Gerais, em uma área-chave para sua conservação: na Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) Porto Cajueiro pertencente a Usina Coruripe, situada no município de Januária. A RPPN faz parte do corredor Sertão Veredas-Peruaçu, um dos corredores prioritários para conservação do Cerrado, e está dentro da área de distribuição original da espécie, localmente extinta.

A primeira reintrodução de bicudos na RPPN Porto Cajueiro ocorrerá no dia 27 de novembro de 2018, onde está prevista a soltura de 4 casais nas veredas da reserva. O projeto é realizado em parceria com diversas universidades (UEMA, USP, UFSCAR) e ONGs (Instituto Ariramba de Conservação da Natureza, IDESE, Associação para a Gestão Socioambiental do Triângulo Mineiro - ANGÁ), sendo financiado pelo Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) e Usina Coruripe.


Fonte: Agência UDOP de Notícias